Economia

Governo não consegue reverter adiamento da reoneração da folha

.

MARIANA CARNEIRO

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O governo não conseguiu reverter o adiamento da reoneração da folha de pagamentos na comissão mista que analisa o assunto no Congresso.

A votação do relatório do senador Airton Sandoval (PSDB-SP) foi concluída nesta quarta (5), mantendo a proposta de adiamento da medida para janeiro de 2018.

O governo tentou negociar até terça (4) a retirada dessa proposta, sob pena de afetar a arrecadação prevista para este ano.

Com a reoneração a partir deste mês para cerca de 50 setores da economia, o governo previa arrecadar R$ 2,5 bilhões neste ano.

Com a proposta de adiamento, que ainda será votada nos plenários da Câmara e do Senado, o governo corre o risco de não ver a entrada desses recursos.

A última tentativa do governo será na votação em plenário da Câmara, que deve ocorrer na próxima semana. A avaliação dos governistas é que a reoneração tem que ser aprovada antes do recesso. Caso não seja, aumenta o risco de a MP que criou a reoneração da folha de pagamentos perder a validade.

A comissão excluiu ainda mais setores da reoneração. Além de têxtil e confecções, call center, tecnologia da informação e calçados e couro, os parlamentares aprovaram a exclusão para a fabricação de ônibus e carrocerias, máquinas e equipamentos e transporte rodoviário de cargas.