Mais lidas
Economia

Petrobras quer aderir a nível mais rígido de governança da Bolsa

.

DANIELLE BRANT

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou nesta segunda-feira (5) que a petroleira iniciou estudos para adesão ao nível 2 de listagem de ações na Bolsa, que tem regras de governança mais rígidas.

O anúncio foi feito durante evento para investidores realizado na B3, controladora da Bolsa de Valores brasileira. Parente afirmou ainda que a empresa protocolou na sexta-feira (2) pedido para adesão ao sistema de governança de estatais da B3.

Segundo ele, é a primeira estatal a manifestar interesse em participar do sistema. "Enfrentamos a crise ética da [operação] Lava Jato. Fizemos uma chamada para melhorar nossa governança, criamos mecanismos para nos adequarmos ao mercado e para o controle da corrupção", afirmou.

Parente ressaltou ainda que a adesão aos dois programas da B3 cria barreiras para "eventuais práticas que possam vir a ser tentadas no futuro que coloquem em risco a independência da empresa."

O nível 2 de negociação exige ao menos 25% de ações em livre circulação no mercado, e o presidente do conselho não pode acumular este cargo com o de principal executivo da companhia, entre outros requisitos.

Já a adesão ao Programa Destaque em Governança de Estatais, é exigido que as empresas tenham um mínimo de 30% de membros independentes no conselho de administração, além de diretrizes sobre sua composição, bem como a da diretoria e a do conselho Fiscal.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber