Mais lidas
Economia

Para Meirelles, economia dá sinais concretos de que voltou à normalidade

.

MARIANA CARNEIRO, NICOLA PAMPLONA E LUCAS VETORAZZO

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - No dia em que o IBGE divulgou resultado positivo do PIB (Produto Interno Bruto) no primeiro trimestre, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a economia dá sinais de recuperação.

"Há sinais concretos de que a economia não só voltou a crescer, voltou à normalidade num período de tempo relativamente rápido", disse, durante a posse do novo presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, no Rio.

Meirelles fez referência à atual crise política apenas uma vez, já no fim de seu discurso.

"Vamos trabalhar, consumir, investir, que esse é o momento certo para o Brasil", disse. "Construímos um país que está e estará acima de crises e de problemas, capaz de crescer de forma sustentável nos próximos anos".

Meirelles disse que o crescimento no primeiro trimestre representa um ritmo de expansão de 4% ao ano, o que já é resultado da "maior confiança e previsibilidade da economia".

"A nova política fiscal deu segurança aos agentes e a política monetária estabilizou a inflação", afirmou. Segundo o ministro, com o teto de gastos do governo, implantado neste ano e com validade até 2026, sobrarão recursos para o consumo, o investimento e o crédito.

JUROS DE LONGO PRAZO

Ao presidente do BNDES, Meirelles disse que a nova taxa de juros de longo prazo, que substituirá a atual taxa do banco, deixará a instituição com condições de captar recursos no mercado, deixando de depender do Tesouro.

Durante as administrações petistas, o banco chegou a receber R$ 500 bilhões do governo, o que foi alvo de intensas críticas de economistas que integram a atual equipe econômica.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber