Mais lidas
Economia

Confiança do consumidor recua 2,7% em maio, diz CNI

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A confiança dos brasileiros voltou a cair. O Inec (Índice Nacional de Expectativa do Consumidor), que sintetiza o sentimento dos brasileiros em relação à expectativa econômica, registrou 100,6 pontos em maio, um recuo de 2,7% frente a abril. As informações são da Agência Brasil.

O indicador está ainda 4,4% menor do que o registrado no mesmo mês do ano anterior. Desde maio de 2016, não havia queda na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Quanto menor o índice, mais pessimista é a avaliação dos consumidores. As informações são da pesquisa divulgada nesta quarta (31) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria).

De acordo com o levantamento, a queda da confiança do consumidor para um nível inferior ao de maio do ano passado aumenta a preocupação sobre a evolução da demanda de consumo para os próximos meses e, consequentemente, para a atividade econômica. Além disso, o Inec, que em maio ficou 7,3% abaixo da média histórica, vem alternando crescimentos e quedas desde o início do ano. No entanto, os dois últimos recuos, de março e maio, foram mais fortes que as duas últimas altas no indicador, ocorridas em fevereiro e abril, segundo a CNI,

Na comparação com abril, a maioria dos componentes do Inec assinalou queda em maio, com exceção do índice de compras de maior valor, que cresceu 3,1% no período. Os recuos mais expressivos foram em relação aos índices de endividamento, com retração de 6,3% em maio ante abril, e a expectativa sobre a própria renda, que caiu 5,9% no período. Isso significa que os brasileiros estão mais endividados e mais pessimistas em relação à evolução da renda, informou a CNI.

O índice de expectativas sobre a inflação teve queda de 4,4% em maio frente abril, sinalizando pessimismo em relação à evolução dos preços. O indicador de perspectivas sobre o desemprego recuou 3,4% no período, indicando que os brasileiros estão pessimistas sobre o mercado de trabalho. Além disso, o índice sobre situação financeira retraiu 3,5%, mostrando piora nas finanças pessoais em maio, na comparação com os últimos três meses.

O Inec também antecipa tendências de consumo. Consumidores com perspectivas positivas em relação ao emprego e à situação financeira tendem a comprar mais, o que contribui para a retomada da atividade econômica.

A pesquisa, feita em parceria com o Ibope Inteligência, ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios entre os dias 18 e 22 de maio.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber