Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

ARTE - Perguntas e respostas sobre a greve geral desta sexta-feira

Loading...

ECONOMIA

ARTE - Perguntas e respostas sobre a greve geral desta sexta-feira

FILIPE OLIVEIRA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Centrais sindicais marcaram uma greve geral envolvendo diversas categorias para esta sexta-feira (28), em protesto contra reformas do governo de Michel Temer.

A maior parte do sistema de transporte público em São Paulo deve ser afetado com a adesão de metroviários, ferroviários da CPTM e motoristas de ônibus.

Leia abaixo perguntas e respostas sobre os motivos e os efeitos prováveis das paralisações.

1) Qual a razão da convocação da greve?

Os protestos marcam um dia nacional de paralisações contra reformas promovidas pelo governo de Michel Temer, em especial as da previdência e trabalhista e a ampliação da terceirização.

2) Quem as convocou?

As manifestações foram programadas pelas principais centrais sindicais, sindicatos e movimentos sociais da esquerda.

3) Quais categorias vão parar?

Trabalhadores dos transportes públicos (ônibus, metrôs e trens), portuários, petroleiros, professores, metalúrgicos, químicos, bancários, entre outros.

4) Como isso deve afetar o trânsito de São Paulo?

Os motoristas e cobradores prometeram não tirar os veículos da garagem na sexta-feira.

Na CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), não trabalharão funcionários das linhas 7-rubi, 8-diamante, 9-esmeralda, 10-turquesa, 11-coral (Luz-Estudantes) e 12-safira (Brás-Calmon Viana).

Funcionários do Metrô também aderiram à greve. Porém o Tribunal Regional do Trabalho da Segunda Região concedeu liminar na quarta-feira determinando que os metroviários de São Paulo mantenham um efetivo mínimo de 80% durante os horários de pico (das 6h às 9h e das 16h às 19h) e de 60% no restante do dia na sexta-feira (28).

Por ser privada, a Linha 4-Amarela deve manter seu funcionamento regular.

5) Que medidas foram tomadas para amenizar as dificuldades?

O rodízio de carros e a zona azul foram suspensos em São Paulo durante a sexta-feira.

Os corredores de ônibus ficarão liberados para o tráfego de táxis -com ou sem passageiros-, ônibus -tanto fretados quanto escolares- e veículos de passeio com ao menos dois passageiros. Carros também vão poder circular nas faixas exclusivas para ônibus.

6) Sou obrigado a trabalhar mesmo com as paralisações?

Se o sindicato de sua categoria não houver decretado greve, sim.

7) Dependo de transporte público. O que fazer?

Caso o transporte seja oferecido regularmente pela empresa, via vale-transporte, a companhia tem responsabilidade por oferecer alternativas, como caronas ou pagamento de transporte privado.

Caso não haja opções, a falta neste dia passa a ser justificada.

8) O que pode acontecer caso eu falte, sem ter a justificativa de depender do transporte público?

A empresa tem o direito de descontar o dia de falta de seu salário.

9) Há alguma alternativa para quem não tem carro se locomover pela cidade?

Os aplicativos de transporte 99, Cabify e Uber estão oferecendo descontos para quem usar o serviço na sexta-feira.

A 99 disponibiliza o código Mobilidade99, que dá direito a R$ 20 de desconto em duas corridas.

A Cabify o código Hospitalbarretos (em parceria com o Hospital do Câncer de Barretos), que dá direito a 20% de desconto. Para novos usuários, a companhia está oferecendo três corridas com desconto de até R$ 25 a partir do código DeCabifyEuVou, válido das 6h até as 9h de sábado, 29/4.

O Uber dará descontos de R$ 20 em duas corridas compartilhadas com outros usuários, na modalidade "pool". A promoção estará disponível entre 7h e 11h e entre 16h e 20h. É preciso usar o código UBERCOMPARTILHADO1 pela manhã e UBERCOMPARTILHADO2 à tarde.

10) Com a greve por tempo indeterminado decretada nos Correios, o prazo para pagamento de contas aumenta?

Não, a menos que a empresa para a qual se deve fazer o pagamento faça alguma comunicação a respeito de ampliação do prazo.

Segundo o Procon-SP, empresas são obrigadas a, em situações como essa, oferecer uma forma de pagamento viável aos consumidores, como pagamento pela internet, loja física ou depósito bancário.

11) Tenho uma viagem aérea marcada. É possível haver algum transtorno?

Sim. Aeroviários aderiram a greve e o MTST (Movimentos dos Trabalhadores Sem-Teto) ofereceu ajuda para a categoria para fechar os dois aeroportos da região metropolitana de São Paulo, o de Guarulhos e o de Congonhas.

A polícia afirma que não irá permitir o fechamento de vias de acesso aos aeroportos.

12) O que posso fazer?

As companhias aéreas Gol, Latam e Avianca decidiram não cobrar taxas de remarcação de passagens de clientes que forem afetados pela greve geral e por manifestações marcadas para sexta-feira.

A Azul informou que está analisando casos de consumidores individualmente.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias