Mais lidas
Economia

ATUALIZADA - Primeiro dia de saques do FGTS tem desencontro de informações

.

PAULO SALDAÑA E TÁSSIA KASTNER

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Trabalhadores têm enfrentado alguns problemas para sacar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) nesta sexta-feira (10).

Até as 8h40 da manhã, 400 mil pessoas já haviam sacado o dinheiro, totalizando R$ 163 milhões de pagamentos. As agências funcionam até as 16h.

Há relatos de pessoas que sabem que tem dinheiro para sacar, mas encontram apenas R$ 2 nos caixas eletrônicos. Há também quem esteja sendo mandado pra casa por não estar com a carteira de trabalho, mesmo com valores baixos para retirar.

A Caixa havia informado que apenas trabalhadores com mais de R$ 10 mil seriam obrigados a trazer a carteira de trabalho ou rescisão de contrato para atendimento presencial. Nesta sexta, o banco afirmou que pode haver divergência de cadastro, por isso seria obrigatório apresentar a carteira.

SÓ COM CLT

Daniel Barbosa, 35 anos, diz ter pouco mais de R$ 1.000 para retirar. Ao chegar ao caixa eletrônico, o valor disponível era de apenas R$ 2.

Ao solicitar atendimento presencial, foi informado que só poderia ser atendido se tivesse com a carteira de trabalho, mesmo com o sistema de atendimento da Caixa mostrando que ele tinha direito ao valor esperado.

José Aldo, 45, corrigiu os dados divergentes de uma saída do emprego na quarta-feira, em uma agência da Caixa. Ele queria que tudo estivesse certo nesta sexta para receber os cerca de R$ 2.000 a que tem direito.

A frustração veio quando chegou no caixa eletrônico e também encontrou apenas R$ 2 no fundo. Às 8h45 ele estava na fila pra ser atendido presencialmente.

Gilmar Cabral de Oliveira, 32, tem cerca de R$ 4.000 para retirar, de três empregos anteriores. Chegou à fila por volta das 8h30 da manhã, mas também foi informado que precisaria da carteira de trabalho para entrar na agência. A orientação foi dada na própria fila.

"No site, dizia que seria preciso trazer apenas o RG e o Cartão do Cidadão", afirmou.

Uma fila de cerca de 50 trabalhadores se formou em uma agência da Caixa na avenida Paulista na hora da abertura (região central de São Paulo). A Caixa espera que mais de 4 milhões de pessoas nascidas em janeiro e fevereiro retirem o benefício em todo o Brasil.

SEM CRÉDITO AUTOMÁTICO

Patrícia Stevanin, 45, não conseguiu sacar todo o dinheiro esperado. Ela esteve na quinta-feira em uma agência da Caixa para conferir se estava tudo correto. Cliente do banco, esperava que o valor pudesse ser creditado automaticamente.

No entanto, divergências em duas das três contas inativas impediram o saque. Em uma delas, a informação foi corrigida, mas o dinheiro será liberado apenas na semana que vem. Em outra, com menos de R$ 500, de um emprego que ela deixou em 1993, a Caixa exigiu o termo de rescisão de contrato de trabalho. A CLT não foi suficiente.

"Esse dinheiro vai ficar pra quando eu me aposentar ou for comprar uma casa", diz. "Não é como o governo falou. Não é facinho, só chegar e sacar."

Três pessoas ouvidas pela reportagem tiveram o mesmo problema em uma agência no bairro da Santa Cecília, também no centro de São Paulo.

ZONA SUL DE SP

Mesmo com a abertura antecipada em duas horas para o saque do FGTS, agências da Caixa na zona sul da capital paulista já registravam filas desde as 7h da manhã desta sexta-feira.

A supervisora de segurança Sônia Feltrin, 48, saiu de casa por volta das 6h30 com medo de enfrentar filas para o saque. Ela foi a primeira a chegar em uma agência na avenida Indianópolis, no Planalto Paulista, por volta das 7h. "A causa é boa", disse ela, instantes antes de o atendimento começar, às 8h, e à frente de dez pessoas.

"Esse dinheiro será um alívio muito grande", disse ela, que pretende quitar dívidas.

Desempregada, Bruna Reis Leite, 31, também chegou com antecedência. "Vai me dar um bom alívio, ainda mais desempregada", diz ela.

A expectativa dos funcionários da agência é de um dia corrido. A própria gerente geral da unidade orientava as pessoas que chegavam para tratar do tema. Segundo ela, a equipe de atendimento foi reforçada.

O movimento era intenso, mas não havia lotação ate por volta das 8h40. Muitos levavam a Carteira de Trabalho na mão. Geralmente o documento traz o número do NIT, necessário para o saque.

A fila também começou cedo na avenida Jabaquara, em uma agência da Caixa no número 1185. Às 7h, um grupo de 15 pessoas já esperava a abertura do serviço diante da porta giratória.

Após a abertura, o movimento também era grande, mas sem maiores transtornos.

O empresário Fernando Danesi, 35, também aproveitou o horário de funcionamento extra para sacar o FGTS. Ele chegou às 8h40 na agência e demorou 45 minutos para resolver a situação.

Danesi havia trabalhado em uma consultoria por dois anos. "Era um dinheiro que eu não estava esperando, é isso é muito bom", disse ele, que não teve surpresas na operação. "Não é um dinheiro que vai resolver minha vida, mas vai ajudar a pagar algumas contas pendentes."

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber