Mais lidas
Economia

Produção industrial fraca amplia apostas de corte maior dos juros

.

EULINA OLIVEIRA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os juros futuros negociados na BM&FBovespa operam em baixa nesta quinta-feira (5), refletindo a queda do dólar e o aumento das apostas de corte maior da taxa básica de juros (Selic) na próxima quarta-feira (11).

A produção industrial de novembro, que ficou abaixo das expectativas, reforçou essas expectativas. O IBGE divulgou que a produção industrial cresceu 0,2% em novembro, na comparação com outubro. A mediana das estimativas de economistas coletadas pela agência Bloomberg era de uma alta de 1,3%.

Analistas afirmam que, diante da fraqueza da atividade econômica, o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central poderia intensificar o corte dos juros. Atualmente, a taxa está em 13,75% ao ano.

O Itaú Unibanco foi uma das instituições que revisaram sua projeção para a taxa básica juros na reunião da semana que vem do Copom. Agora, a instituição espera um corte de 0,75 ponto percentual, para 13%, ante estimativa anterior de 0,50 ponto.

Por enquanto, a maioria das projeções se concentra em uma queda de 0,50 ponto porcentual. Segundo profissionais do mercado, o movimento no mercado de juros futuros nesta quinta-feira passou a embutir cerca de 30% de chance de uma redução de 0,75 ponto.

O contrato de DI para janeiro de 2018 caía de 11,485% para 11,365%; o DI para janeiro de 2021 recuava de 11,350% para 11,240%; e o DI para janeiro de 2026 cedia de 11,640% para 11,588%.

"O BC tem espaço para fazer um corte de 0,75 ponto, mas acredito que ele vai continuar agindo com parcimônia e cortar 0,50 ponto", afirma Marcio Cardoso, sócio-diretor da Easynvest. "Até mesmo porque o ciclo de queda dos juros depende também do andamento do ajuste fiscal do governo."

"Quanto mais dados ruins sobre a economia são divulgados, mais o mercado fica otimista em relação à queda dos juros", afirma Alexandre Soares, analista da BGC Liquidez.

O BC já fez dois cortes de 0,25 ponto percentual na Selic nas duas reuniões anteriores, e o mercado espera um corte de pelo menos 0,50 ponto por causa da desaceleração da inflação.

Na quarta-feira (4), os juros futuros subiram, por causa do possível reajuste dos combustíveis pela Petrobras nos próximos dias, o que poderia ter impacto na inflação.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber