Mais lidas
Economia

Beneficiários do BPC serão reavaliados entre 2017 e 2018

.

MAELI PRADO

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os beneficiários do BPC (Benefício de Prestação Continuada), valor pago a idosos e deficientes em situação de pobreza, serão chamados entre 2017 e 2018 para serem recadastrados e terem seus benefícios reavaliados, informou nesta quarta (4) o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário.

Neste ano, serão recadastrados os idosos (acima de 65 anos) que têm direito ao BPC. Em 2018, será a vez dos deficientes de qualquer idade que recebem o benefício.

Durante o recadastramento, os benefícios também serão reavaliados com o objetivo de se saber se ainda estão válidos, segundo a pasta. Essa reavaliação deveria acontecer de dois em dois anos, mas a última vez que ocorreu foi em 2008.

De acordo com o ministério, os beneficiários não devem procurar os órgãos públicos, e sim aguardar serem chamados para a realização do recadastramento. "O cronograma ainda será definido e divulgado pelo ministério", disse em nota o secretário-executivo do ministério, Alberto Beltrame.

O recadastramento acontecerá porque um decreto de julho do ano passado determina que todos os que recebem o benefício terão que ser inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal -hoje, 40% ainda não fazem parte do cadastro, segundo a pasta.

Os novos benefícios passarão a ser inscritos automaticamente no cadastro único.

Reportagem da Folha de S.Paulo desta quarta-feira (4) mostrou que o governo também planeja enviar ao Congresso, após a tramitação da reforma da Previdência, uma proposta para promover mais alterações no acesso ao BPC.

POSTOS MUNICIPAIS

Em portaria publicada nesta quarta-feira, a pasta determinou que, além das agências da Previdência Social, quem tem direito ao BPC passa a poder requerer o benefício também em postos municipais e estaduais.

A adesão das prefeituras e dos governos estaduais é voluntária e deverá ser feita através de um termo de cooperação com o governo federal. "A medida simplifica a vida do cidadão, que não precisará ir mais ao INSS para requerer o BPC", afirmou Beltrame.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber