Facebook Img Logo
  1. Edhucca Banner
Mais lidas
Economia

Estudante perde estágio no Facebook após revelar falha de privacidade

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Facebook cancelou o estágio que um estudante da universidade de Harvard faria na empresa após ele ter descoberto uma falha de privacidade no Facebook Messenger, segundo site "Boston.com".
Em maio, Aran Khanna criou uma extensão para o Google Chrome que mostrava como a rede social armazenava e compartilhava os dados de localização de seus usuários. As informações eram compartilhadas por padrão com qualquer contato com quem o usuário trocasse mensagens.
Ao instalar a extensão, os usuários podiam monitorar os contatos sem que eles soubessem. E a falha ocorria até quando a comunicação ocorria com pessoas desconhecidas, fora das redes de contato.
"Decidi criar essa extensão porque nos dizem constantemente sobre como estamos perdendo privacidade com a crescente digitalização de nossas vidas, mas as consequências nunca parecem tangíveis", escreveu ele em seu blog.
Segundo o estudante, o Facebook entrou em contato em algumas ocasiões, cada uma com um novo pedido. Primeiro, pediu para que ele não falasse com a imprensa para que a história não se espalhasse. No dia seguinte, pediu para desabilitar a extensão.
Três dias depois, no último dia 29 de maio, o responsável global de recursos humanos teria entrado em contato com Khanna para retirar a oferta de estágio, afirmando que a extensão violava os termos de uso do Facebook. Além disso, um e-mail do mesmo funcionário teria afirmado que o post no blog não refletia o "alto padrão ético" sobre privacidade que os estagiários deveriam apresentar.
Em comunicado, o Facebook disse que o caso é uma "história revisionista que convenientemente omite alguns pontos importantes".
"Primeiro, nós começamos a desenvolver melhorias para o compartilhamento de localização meses atrás, baseados nas opiniões de pessoas que usam o Messenger. Segundo, o mapa usava dados do Facebook de uma forma que viola os nossos termos, e estes termos existem para proteger a privacidade e segurança dos usuários. Apesar de pedirmos repetidamente para ele remover o código, o criador deixou a ferramenta funcionando. Isso é errado e é inconsistente com a forma que pensamos em servir a nossa comunidade", dizia a nota.
O Facebook diz que uma atualização do Messenger já foi desenvolvida e que o seu lançamento não foi antecipado por conta da extensão.
Em um estudo publicado na revista "Harvard Journal of Technology Science", Khanna afirmou: "É possível que o Facebook tenha agido quando agiu pela atenção que o caso recebeu da mídia. Minha extensão e post tornaram transparentes as práticas de coleta e compartilhamento de dados".

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Economia

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber