Mais lidas
Economia

Apuração e pesquisas indicam vitória do "não"

.

LEANDRO COLON E FERNANDA GODOY, ENVIADOS ESPECIAIS
ATENAS, GRÉCIA (FOLHAPRESS) - A apuração e as pesquisas divulgadas após o fim da votação apontam para uma vitória do "não" sobre o "sim" no plebiscito realizado na Grécia para aprovar a proposta de socorro financeiro feita pelos credores internacionais.
A consulta popular ocorreu neste domingo (5). Com 60% dos votos apurados, o "não" —rejeição a propostas dos credores— aparece com 61% contra 39% do "sim". Espera-se que o cenário esteja definido ainda nesta noite.
Logo após os primeiros números serem divulgados, simpatizantes do Syriza, partido de esquerda do primeiro-ministro Alexis Tsipras, começaram a celebrar o resultado na praça Syntagma, no centro de Atenas.
Pelo menos seis pesquisas divulgadas pelos canais de televisão, com base em institutos locais, apontaram vitória do "não". Segundo o canal Skai TV, por exemplo, o "não", contra o acordo proposto pelos credores, deve vencer pelo placar de 51,5% a 48,5%. O canal Alpha prevê que o "não" atinja de 49,5% a 54,5% dos votos, enquanto o "sim", de 45,5% a 50,5%. O canal Mega divulgou pesquisa em que o "não" aparece vencendo por 51,5% a 48,5%.
Segundo o canal Skai TV, por exemplo, o "não", contra o acordo proposto pelos credores, deve vencer pelo placar de 51,5% a 48,5%. O canal Alpha prevê que o "não" atinja de 49,5% a 54,5% dos votos, enquanto o "sim", de 45,5% a 50,5%. O canal Mega divulgou pesquisa em que o "não" aparece vencendo por 51,5% a 48,5%.
A votação terminou às 19h (13h, em Brasília) e ocorreu em clima de tranquilidade na capital Atenas. Ao todo, 9,9 milhões de gregos estavam aptos para votar no país.
A população foi convocada na semana passada pelo primeiro-ministro, Alexis Tsipras, para aprovar ou não a proposta de socorro financeiro internacional feita pelos credores FMI (Fundo Monetário Internacional), BCE (Banco Central Europeu) e a zona do euro.
Após votar, Alexis Tsipras afirmou que a Europa não poderá ignorar a vontade dos gregos. "Muitos podem tentar ignorar o desejo de um governo, mas ninguém pode ignorar a vontade de uma população que está buscando viver com dignidade, com suas próprias mãos ", afirmou o premiê, após votar em Atenas.
Tsipras faz campanha pelo "não", mas tem dito que buscará um acordo a partir desta segunda (6) com Bruxelas independentemente do resultado. O discurso foi repetido no fim de semana pelo ministro de Finanças, Yanis Varoufakis.
O premiê destacou ainda a determinação da população em comparecer à consulta e disse que as coisas avançam quando "a democracia vence o medo e chantagem". "Hoje a democracia triunfa sobre o medo. Estou confiante que nesta segunda vamos estabelecer um novo curso para todas as pessoas da Europa", afirmou.




×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber