Mais lidas
Economia

Trabalhadores da Mercedes rejeitam proposta de redução de salários

.

CLAUDIA ROLLI
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os metalúrgicos da Mercedes-Benz rejeitaram nesta sexta-feira (3) a proposta de reduzir em 10% o salário e em 20% a jornada de trabalho de todos os trabalhadores da unidade de São Bernardo do Campo em troca de manter os empregos dos 10.441 funcionários da fabrica até julho de 2016.
A proposta foi recusada por 73,8% dos 7.559 trabalhadores que colocaram seus votos nas urnas espalhadas pela produção. Desse total, 25,2% aceitaram a proposta e 1% se absteve de votar.
A reportagem obteve o resultado da votação com trabalhadores do primeiro turno da fábrica, que relataram que a proposta foi vaiada ao ser explicada na quinta-feira (2) em assembleia que reuniu os funcionários do turno da manhã (começa 5h30) e da tarde (14h30).
A proposta foi negociada por ao menos seis meses pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (filiado à CUT) e pela empresa.
Em maio, a montadora demitiu 500 trabalhadores que retornaram de um período de um ano de afastamento em lay-off ( suspensão do contrato de trabalho).
Após uma greve na empresa, a montadora abriu um PDV e 200 desses 500 dispensados aderiram ao programa.
Outros 300 funcionários permanecem se revezando em acampamento na porta da fábrica há 25 dias.
A proposta rejeitada previa ainda reajuste salarial menor em 2016 -com reposição de metade inflação medida pelo INPC acumulado em 12 meses encerrados em maio.
Segundo o sindicato, as negociações foram interrompidas com a montadora e não há previsão de reunião com a MBB.
A fábrica esta parada a partir desta sexta (3), por causa de emenda com o feriado do dia 9 de julho e os trabalhadores retornam na próxima segunda, dia 13.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber