Facebook Img Logo
Mais lidas
Economia

Primeiro-ministro da China cobra do Brasil facilidade para trazer técnicos

.

BRUNO VILLAS BÔAS
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, cobrou em público das autoridades brasileiras nesta quarta-feira (20) mais facilidade na concessão de vistos para que os funcionários de empresas chinesas possam trabalhar no Brasil.
Durante passeio de barco na Baía de Guanabara, no Rio, o primeiro-ministro disse, na frente de empresários e autoridades dos dois países, que esse foi um pedido das próprias empresas chinesas nesses últimos dias.
"Empresas chinesas me disseram que eles esperam que o governo brasileiro dê mais facilidade na emissão de vistos aos técnicos chineses, que vem ao Brasil dar suas contribuições ao desenvolvimento local e ajudar no treinamento", disse Li Keqiang.
O comentário foi direcionado ao ministro de Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, que estava sentado ao lado do primeiro-ministro chinês.
"Essa facilidade precisa ser reciproca. Portanto, eu também exigi do nosso ministério de relações exteriores esses vistos", explicou Li Keqiang.
"Vou exigir que nossos trabalhadores que venham ao Brasil que respeitem a lei e os costumes do Brasil. E peço ao brasileiro dar mais facilidade e garantia de segurança para os trabalhadores das empresas chinesas, sobretudo as de pequeno e médio porte", acrescentou.
O ministro Vieira limitou-se a informar que a questão será analisada no âmbito dos acordos entre os dois países.
Mais cedo, Li Keqiang afirmara que a China quer produzir no Brasil equipamentos e produtos que o país vai precisar para a área de infraestrutura. Segundo o premiê, há conversas sobre a possibilidade de construção de uma fábrica de trens no Rio.
INVESTIMENTOS
Participarem do encontro com o primeiro-ministro chinês o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, o presidente da Vale, Murilo Ferreira, além do governador Luiz Fernando Pezão, e do ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga.
O secretário-executivo de Comércio Exterior, Ivan Ramalho, disse que o governo trabalhar agora para aumentar a exportação de produtos manufaturados para a China.
"Somente 10% do que exportamos para a China são manufaturados, o resto é basicamente petróleo, minério e soja", explicou.
Durante o passeio de barco, o governador teve um encontro reservado com o primeiro-ministro chinês. Eles teriam discutido o interesse em instalar unidades de manutenção de barcos, trens e metrô na cidade do Rio.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas de Economia

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber