Facebook Img Logo
Mais lidas
Economia

Governo não prevê nova alta de tributos, diz ministro do Planejamento

.

MARIANA BARBOSA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Nelson Barbosa, ministro do Planejamento, afirmou nesta sexta-feira (6) que "no momento" o governo não prevê aumento de impostos para fechar as contas públicas.
"Não vou dizer que está tranquilo mas estamos confiantes que as medidas adotadas até agora serão capazes de cumprir a meta de ajuste fiscal. Mas o plano de voo é periodicamente ajustado e as reuniões para discutir as questões orçamentárias acontecem de dois em dois meses. Neste momento não há previsão de adoção de nenhuma medida adicional. Adotamos as medidas necessárias mas o Congresso é soberano."
Barbosa afirmou também que, passada a fase de ajuste fiscal e o cumprimento das metas de superávit primário, a economia deve levar de seis a nove meses para retomar o crescimento.
"O padrão da economia brasileira é de se recuperar rapidamente", afirmou durante palestra para empresários na Câmara de Comércio França-Brasil. Ele disse acreditar que já no segundo semestre a economia "vai se recuperar", mas "talvez não seja suficiente para voltar para uma variação positiva no ano".
O ministro disse que a superação da crise atual depende mais da política do que da economia e defendeu um pacto de união nacional.
"Não é a primeira vez que enfrentamos uma crise econômica. Mas os desafios que temos hoje são menores do que aqueles que a democracia brasileira enfrentou no passado. Agora é hora da politica, de união e superação", afirmou, ressaltando que a solução dos problemas depende "somente do Brasil".
O país atravessa "algumas dificuldades, mas nosso potencial é maior do que nossos problemas", disse ele.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Economia

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber