Economia

IBGE: IPCA em abril foi o maior para o mês desde 2005

Da Redação ·
A alta de 0,77% verificada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi a maior para o mês de abril desde 2005. A taxa de 12 meses, de 6,51%, também foi a maior registrada desde julho de 2005, segundo informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). "Mas o nível da inflação ficou mantido. A gente pode dizer que a diferença foi pequena, quase irrisória e (o índice) se manteve perto de 0,80%, como ocorreu também em janeiro e em fevereiro. O número permaneceu estável", disse a coordenadora de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos. Etanol A alta nos preços de transportes teve o maior impacto sobre o IPCA. O grupo, que subiu 1,57% em abril ante 1,56% em março, contribuiu com 0,30 ponto porcentual na alta de 0,77% registrada pelo índice geral no mês. Apesar de a variação em Transportes, na passagem de março para abril, ter sido quase igual à observada no mês anterior, o grupo continuou sendo o de maior alta entre os nove apurados no IPCA. "O impacto dos Transportes foi realmente grande no IPCA", disse Eulina. "Dos itens que pressionaram em março, os que continuaram pressionando em abril foram justamente os combustíveis, a gasolina e o álcool, praticamente anulando a desaceleração dos alimentos", acrescentou. Os preços do etanol, que subiram 10,78% em março, atingiram 11,20% em abril, acumulando alta de 31,09% no ano. Com isso, influenciaram o preço da gasolina, que ficou 6,26% mais cara em abril, após alta de 1,97% em março, numa valorização de 9,58% no ano. Juntos, os combustíveis tiveram alta de 6,53% no mês. O etanol entrou com contribuição de 0,05 ponto porcentual no IPCA, enquanto a gasolina contribuiu com 0,25 ponto porcentual. Vestuário Os preços de artigos de vestuário foram responsáveis pela segunda maior variação no IPCA de abril, segundo o IBGE. A alta do grupo Vestuário foi de 1,42% em abril, ante 0,56% em março. Quase todos os itens do grupo apresentaram variações expressivas, com destaque para roupas infantis, que subiram 1,97% no mês. "O aumento explica-se pela entrada da nova coleção no mercado e pelo aumento no preço do algodão, embora o setor venha adotando muitas peças de material sintético", explicou Eulina. O grupo Vestuário foi responsável por uma alta de 0,09 ponto porcentual no IPCA de abril.
continua após publicidade