Economia

Para EPE, energia não limitará expansão do País

Da Redação ·
O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, afirmou hoje que a energia elétrica não será um limitador para o crescimento do País. Segundo ele, se o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro crescer a uma taxa média anual de 5%, em 2011 e 2012, o excedente de energia será entre 3 mil e 3,5 mil megawatts médios. Esse volume representaria cerca de 5% da carga total de energia do país. Se o ritmo de expansão da economia se mantiver nesse patamar entre 2013 e 2014, a sobra de energia subirá para entre 5 mil e 5,7 mil megawatts médios (equivalentes a aproximadamente 7% da carga total). O executivo destacou que esses números podem ser ainda mais altos, já que os cálculos foram feitos sem levar em conta os projetos no setor que ainda estão sendo contratados. "A energia elétrica não é mais um gargalo para o crescimento brasileiro", disse Tolmasquim, que participou hoje no Rio do 1º Seminário sobre Matriz Energética, promovido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Segundo ele, considerado esse excedente, o País poderia crescer a uma taxa de 7% ao ano até 2014. Tolmasquim acrescentou que 70% da energia que o país precisa para os próximos dez anos já estão contratados.
continua após publicidade