Economia

Operários não retomam obras na usina de Santo Antônio

Da Redação ·
Operários da usina hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia, não retornaram às atividades no canteiro de obras, em descumprimento ao acordo firmado na Justiça do Trabalho na última sexta-feira. A multa prevista para o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil (Sticcero) é de R$ 50 mil por dia parado e começa a valer hoje. A paralisação dos trabalhos de construção das duas usinas hidrelétricas do Rio Madeira, Santo Antônio e Jirau, teve início há quase duas semanas, por causa de um conflito que destruiu alojamentos na usina de Jirau. Desde então, movimentos grevistas dos trabalhadores em Santo Antônio impedem o retorno da obra. Os dois empreendimentos, que fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), reúnem cerca de 40 mil trabalhadores. Com a destruição do canteiro de obras de Jirau, sete mil trabalhadores que estavam alojados retornaram aos seus Estados de origem. Em Jirau, por causa dos conflitos, um efetivo da Força Nacional permanece dentro do canteiro de obras, que fica a 130 km da capital.
continua após publicidade