Economia

Instalação de termoelétrica deve impulsionar Canas-SP

Da Redação ·
Um dos municípios mais pobres do Estado, a cidade de Canas, a 199 km de São Paulo, vive dias de expectativa com o anúncio da implantação de uma usina termoelétrica - a primeira no Vale do Paraíba - numa área de 21 hectares, a quatro quilômetros da rodovia Presidente Dutra. A usina, que será movida a gás, será instalada pela empresa AES Tietê, que investirá cerca de R$ 1,1 bilhão, para geração de 550 megawatts de energia por mês, o que seria suficiente para atender a uma cidade de 5 milhões de habitantes. "É uma bênção de Deus para o nosso povo. Nosso município tem 49,3% da população abaixo da linha de pobreza e só a geração de empregos pode melhorar a qualidade de vida de todos", diz o prefeito Rinaldo Zanin (PDT). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população local é de 4.387 habitantes. A falta de emprego é um dos principais problemas da cidade. O prefeito explicou que a construção vai empregar até 750 pessoas e outras 30 pessoas trabalharão na usina, quando esta estiver em funcionamento. A termoelétrica também trará um incremento na arrecadação do município de R$ 17 milhões por ano, mais que o orçamento anual, que é de R$ 10,8 milhões. A meta é iniciar a geração de energia em 2015 e o início da construção depende dos acertos finais do licenciamento ambiental e da habilitação da empresa para sua participação no leilão de energia que será realizado no segundo semestre deste ano. Em abril, será realizada uma audiência pública para discutir o projeto com a população. O gás natural que servirá como combustível da usina será proveniente do campo de Mexilhão, a partir da base de Caraguatatuba, e a água utilizada para o resfriamento virá do rio Paraíba do Sul. "A água será tratada e depois devolvida ao rio Canas. Não haverá prejuízo para nosso meio ambiente e nosso ar continuará tendo a mesma qualidade", disse Zanin. O desafio de gerar emprego, segundo o prefeito, está sendo enfrentado também com a aquisição de duas áreas pela prefeitura, uma delas de 90 mil metros quadrados, doada para a instalação da sede nacional do Movimento da Renovação Carismática. A outra, de 150 mil metros quadrados, será destinada a um polo empresarial, com 15 lotes. "Já temos oito empresas interessadas", diz o prefeito.
continua após publicidade