Economia

Medidas macroprudenciais são bem-vindas, diz Febraban

Da Redação ·
O novo presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal, elogiou a posição do governo de adotar medidas macroprudenciais junto com a elevação dos juros para conter a demanda agregada e pressões de alta de inflação. "Essas medidas são bem-vindas e devem aumentar ainda mais a robustez do sistema financeiro nacional", comentou. Portugal reconheceu que o patamar do spread de operações financeiras no Brasil é elevado, mas ressaltou que vem caindo de forma constante nos últimos anos. Spread é a diferença entre a taxa que o banco paga na captação de dinheiro e a que cobra do cliente. "É preciso ressaltar também que alguns componentes que formam o spread do Brasil, como a questão tributária sobre o sistema financeiro, não têm paralelo em outros países", ressaltou. Portugal afirmou que a política econômica do governo é positiva porque focaliza a estabilidade de preços com crescimento da economia e aumento da renda da população, com melhor distribuição. Ele ressaltou que o Brasil tem 141 milhões de pessoas com conta corrente e 93 milhões com caderneta de poupança. "Com o avanço da economia e melhora da renda da população, deve ocorrer ao longo do tempo um incremento da bancarização no País", disse. Segundo Portugal, num primeiro momento, quando os novos cliente abrirem contas em bancos pode até ser que os spreads cobrados em operações financeiras para eles subam. Contudo, ele ressaltou que ao longo do tempo a tendência é que esses clientes formem um histórico de crédito, o que vai viabilizar naturalmente a queda dos juros das operações financeiras. "Até porque muitas dessas pessoas têm apenas como patrimônio o seu próprio nome", afirmou.
continua após publicidade