Economia

IBGE: hora paga na indústria recua 0,1% em janeiro

Da Redação ·
O número de horas pagas aos trabalhadores da indústria caiu 0,1% em janeiro ante dezembro, segundo informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em sua Pesquisa Industrial Mensal: Emprego e Salário (Pimes). Em dezembro, o número de horas pagas cresceu 0,3% em relação a novembro. De acordo com o instituto, na comparação com janeiro de 2010, o número de horas pagas cresceu 2,8% em janeiro deste ano - a menor taxa de crescimento desde fevereiro de 2010 (1,7%). O número de horas pagas acumula alta de 4,3% nos 12 meses encerrados em janeiro de 2011. Nos 14 locais pesquisados pelo IBGE, o número de horas pagas cresceu em 13 localidades em janeiro deste ano, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Os destaques positivos foram registrados nos aumentos apurados no período em São Paulo (1,9%), Minas Gerais (5,0%), região Norte e Centro-Oeste (5,8%), Paraná (3,5%) e Santa Catarina (3,0%). Na análise por setores, o IBGE informou que 11 dos 18 ramos pesquisados apresentaram alta no número de horas pagas em janeiro ante igual mês de 2010. Entre os destaques positivos no período estão meios de transporte (8,9%), produtos de metal (10,3%), máquinas e equipamentos (7,0%), minerais não metálicos (8,1%) e máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (7,7%). Já entre os destaques negativos estão papel e gráfica (baixa de 9,1%), vestuário (queda de 2,3%) e refino de petróleo e produção de álcool (recuo de 5,3%). Folha de pagamento O valor da folha de pagamento real (descontada a inflação) da indústria cresceu 5,1% em janeiro ante dezembro, após ter acumulado queda de 4,4% nos dois últimos meses de 2010. Em relação a janeiro do ano passado, a folha de pagamento real da indústria cresceu 7,1% no primeiro mês de 2011 - a 13ª taxa positiva consecutiva nesse tipo de comparação. No acumulado dos 12 meses encerrados em janeiro, a folha de pagamento registra alta de 7,3%. O instituto informou que, na comparação com janeiro do ano passado, o valor da folha em janeiro deste ano cresceu em todos os 14 locais pesquisados, com destaque para os aumentos registrados em São Paulo (6,1%), Minas Gerais (18,3%), Rio de Janeiro (7,1%) e Paraná (7,4%). Na análise por setores, o IBGE informou que o valor da folha de pagamento real cresceu em 14 dos 18 setores industriais pesquisados em janeiro ante igual mês do ano passado. Entre os destaques positivos estão meios de transporte (17,5%), máquinas e equipamentos (12,2%), produtos químicos (11,9%), produtos de metal (11,1%) e alimentos e bebidas (3,7%). Já entre as quedas aparecem papel e gráfica (baixa de 10,9%) e madeira (recuo de 2,6%).
continua após publicidade