Economia

Portos do Paraná ampliam em 76% importação de fertilizantes

Da Redação ·
 A importação de fertilizantes pelos portos de Paranaguá e Antonina no mês de janeiro foi 76% maior do que a registrada no mesmo período do ano passado
fonte: AEN
A importação de fertilizantes pelos portos de Paranaguá e Antonina no mês de janeiro foi 76% maior do que a registrada no mesmo período do ano passado

A importação de fertilizantes pelos portos de Paranaguá e Antonina no mês de janeiro foi 76% maior do que a registrada no mesmo período do ano passado. Foram 750 mil toneladas de fertilizantes importados, a melhor marca alcançada pelos portos paranaenses na história.
 

continua após publicidade

Para dar vazão à demanda, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) está atracando, simultaneamente, até cinco navios para descarga de fertilizantes, apesar de haver no cais comercial apenas dois berços preferenciais para a movimentação do produto.
 

Fora isso, o Porto dispõe ainda do terminal da Fospar, exclusivo para movimentação de fertilizantes e, desde setembro de 2010, o terminal da Ponta do Félix, em Antonina, também está movimentando fertilizantes em dois berços de atracação.
 

continua após publicidade

“Estamos procurando adequar da melhor maneira possível nossa logística para atender a demanda. Hoje, nossa produção diária está variando entre 20 e 25 mil toneladas por dia só no cais comercial e sem chuva”, explicou o superintendente da Appa, Airton Vidal Maron.
 

O diretor para assuntos portuários do Sindicato da Indústria de Adubos e Corretivos Agrícolas no Estado do Paraná (Sindiadubos), Dicesar Santiago de Souza, diz que a principal explicação para a alta nas importações de fertilizantes é o aumento de preço das commodities (soja e milho) no mercado externo.
 

“A elevação nos preços está causando uma maior procura para plantar a safrinha. O produtor quer aproveitar o bom preço do milho no mercado internacional”, explicou. Com o preço do fertilizante praticamente estável e alta no valor das comodities, o produtor quer adubar mais a terra, aumentar a produção e a lucratividade.
 

continua após publicidade

Outra explicação para a alta nas importações de fertilizantes é que muitos produtores resolveram adiantar a compra de insumos para a safra de verão 2011/2012.
 

O diretor do Departamento de Economia Rural da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), Otmar Hubner, informa que o preço atrativo das commodities no mercado externo tem incentivado os produtores a refazerem seus estoques. “Os insumos importados ainda serão processados. Por isso, o agricultor precisa comprar já o fertilizante, para quando chegar a época do plantio, em julho, agosto e setembro, já estar preparado”, explica Hubner.
 

CHUVA – As condições climáticas dos últimos meses têm afetado em parte a importação de fertilizantes. Cerca de 30% do mês de dezembro de 2010 foi de chuva, prejudicando a descarga dos fertilizantes. Com isso, houve maior demora na descarga do produto em Paranaguá.
 

Mesmo assim, a produtividade atingida pelo Porto de Paranaguá em janeiro foi alta. “O Porto atingiu médias de meses como julho e agosto, quando chove muito menos”, afirma o diretor do Sindiadubos.


O Porto de Paranaguá é o que mais importa fertilizantes no Brasil. Em 2010, a Appa registrou o recebimento de 7,2 milhões de toneladas do produto, resultado 47% superior ao registrado em 2009, quando o mercado começou a se recuperar da crise que atingiu o setor em 2008.