Economia

São José do Vale do Rio Preto prepara estrutura para receber flagelados das chuvas

Da Redação ·
 São José do Vale do Rio Preto (RJ) - Acampamento montado pela prefeitura para desabrigados pelas fortes chuvas dos últimos dias
fonte: Wilson Dias/ABr
São José do Vale do Rio Preto (RJ) - Acampamento montado pela prefeitura para desabrigados pelas fortes chuvas dos últimos dias

Cinema, televisão, internet, refeitório, centro de enfermagem e um parque infantil. Essa é a infraestrutura que está sendo montada no Estádio Municipal Raul Ferreira Isidoro, em São José do Vale do Rio Preto, na região serrana do Rio de Janeiro, para receber os desabrigados e desalojados pelas chuvas de 15 dias atrás.
 

continua após publicidade

Segundo o prefeito Adelson Faraco, na próxima quarta-feira (3), as primeiras famílias começam a chegar ao local onde foram montadas 96 barracas iguais às que foram usadas após o terremoto no Haiti e as chuvas que atingiram, no ano passado, os estados de Alagoas e Pernambuco.
 

“Temos que oferecer dignidade para o pessoal que vem para cá. Vamos montar o centro de atendimento aos desabrigados, principalmente para aqueles que estão nas escolas. Temos que nos preocupar também porque, no próximo dia 7, começam as aulas”, afirmou Faraco, em entrevista à Agência Brasil.
 

continua após publicidade

As barracas, doadas ao município pelo Rotary Club e pela empresa Shelter Box, estão montadas no estádio desde o início da semana. Contudo, devido às obras para instalação de melhorias no local, os desabrigados ainda não puderam ser levados para lá. “Não digo que eles se sentirão em casa, mas pelo menos eles terão aqui o mínimo de que precisam para que se sintam bem, felizes”, disse o prefeito.
 

“Estamos montando um refeitório comunitário, um centro de enfermagem, com psicólogos e fonoaudiólogos, uma praça infantil, sala para reuniões e um cinema comunitário, com transmissão de filmes pelo menos uma vez por semana”, informou Faraco. “Vamos ter também seis tendas com transmissores de canais de televisão para diversificar, para que as pessoas tenham mais opções."
 

Cerca de 100 famílias deverão ser levadas para o local, com um total aproximado de 400 pessoas. O prazo de permanência é estimado em um ano. “Estamos adiantados em relação à construção das casas próprias. Vamos, inclusive, assinar hoje o convênio com os governos estadual e federal, e creio que dentro de oito meses a um ano já estejamos com as casas para esse pessoal e o dos outros abrigos”, disse o prefeito.
 

continua após publicidade

Segundo o secretário municipal de Turismo, Esporte e Lazer, Fabiano Bittencourt, que será o coordenador do abrigo, na estrutura que está sendo preparada serão organizados seminários, oficinas e cursos para os desabrigados.
 

O prefeito disse ainda que pediu às empresas prestadoras de serviço prioridade para os desabrigados e desalojados na contratação das pessoas que vão trabalhar no abrigo.
 

“Eles vão continuar recebendo o Bolsa Família e já estão cadastrados para o aluguel social. Aqui, eles não vão pagar nada, vão continuar recebendo. Estamos transformando aqui em um centro social. As mulheres que vierem para cá e não tenham trabalho vão participar da limpeza, da arrumação, da cozinha." Quanto aos homens desempregados, o prefeito pediu às firmas prestadoras de serviço preferência para eles na hora de contratar pessoal.