Economia

Funcionários e empresas chegam a acordo

Da Redação ·
 Trabalhadores e empresas se reuniram na tarde desta sexta-feira (21)
fonte: Divulgação
Trabalhadores e empresas se reuniram na tarde desta sexta-feira (21)

Após quase dois meses de negociação, aeroviários, aeronautas e empresas aéreas fecharam nesta sexta-feira (21) um acordo de reajuste salarial. Tralhadores e companhias assinaram na tarde desta sexta-feira (21) a convenção coletiva de trabalho na qual ficou acertado o aumento de 8,75% sobre os salários e nos demais benefícios e o reajuste de 10% sobre os pisos da categoria.

continua após publicidade

No Brasil o setor aéreo emprega cerca de 52 mil pessoas.

O reajuste salarial representou um aumento real (acima da inflação) de 2,67%, e sobre o piso o ganho real foi de 3,92%.

continua após publicidade

O índice usado para o reajuste foi o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), calculado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que fechou o ano passado em 6,08%. Vale-refeição, cesta básica, diárias de alimentação, hospedagem e seguro de vida também foram reajustados.

O presidente da Fentac (Federação Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil), Celso Klafke, disse ao R7 que o resultado foi positivo, pois ficou perto de metas internas com as quais os sindicatos trabalhavam – um aumento de 9%, com 3% de ganho real – e de 4% para os pisos. A proposta inicial dos sindicatos, no entanto, era de 15% de reajuste salarial.

Klafke disse, entretanto, que os problemas das categorias do setor aéreo não são só econômicos: há questões relativas, por exemplo, a sobrecarga de trabalho, que ainda estão por resolver.

- Há um encontro já marcado para março - após o Carnaval - com as empresas para tratar de problemas ainda não resolvidos, como a carga excessiva de trabalho e outros.