Economia

Portos alcançam novo recorde em receita de exportações

Da Redação ·

A receita cambial gerada pelas exportações realizadas entre janeiro e novembro de 2010, via Portos do Paraná, somou US$ 13,3 bilhões e representa recorde histórico para o período. Nos últimos 11 meses, foram mais de 24,2 milhões de toneladas de mercadorias, produzidas em diversas regiões do país, comercializadas internacionalmente através dos terminais portuários de Paranaguá e Antonina.  

continua após publicidade

Os dados, divulgados nesta terça-feira (14) pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), completam os números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), que colocaram o Paraná como o 5º colocado no ranking dos maiores exportadores nacionais neste ano: US$ 13 bilhões em receitas, considerando apenas o valor gerado na negociação de produtos ou cargas originárias do próprio estado.  

Segundo o MDIC, do total produzido e exportado pelo Paraná, quase 69% saem pelos portos públicos estaduais, sendo cerca de US$ 8,1 bilhões comercializados através do terminal parnanguara e US$ 8 milhões via Porto de Antonina. “A receita cambial é o indicativo dos valores financeiros recebidos nas atividades de exportação e é uma forma de calcularmos a abrangência e a importância das nossas atividades”, explica o superintendente da Appa, Mario Lobo Filho.  

continua após publicidade

“Nos últimos cinco anos, os portos paranaenses apresentaram uma evolução neste sentido. Entre janeiro e novembro de 2005, registramos receita cambial de US$ 8,4 bilhões. No mesmo período de 2006, foram US$ 8,5 bilhões. Em 2007, os valores subiram para US$ 10,9 bilhões. No ano seguinte, recorde de US$ 13 bilhões e, em 2009, mesmo com a crise mundial, US$ 11,5 bilhões”.

MOVIMENTAÇÃO: Seguindo os bons resultados apresentados na exportação de cargas, os terminais portuários do Paraná registraram também altas na importação e na navegação de cabotagem, feita pela costa brasileira. Ao todo, foram comercializadas 35,5 milhões de toneladas de mercadorias entre janeiro e novembro de 2010. O valor já supera em 22% o total movimentado em todo o ano passado, quando foram comercializadas cerca de 31,2 milhões de toneladas de produtos.  

continua após publicidade

A importação, por exemplo, somou 11,2 milhões de toneladas nos últimos 11 meses. Aumento de 47% na comparação com o mesmo período de 2009, quando os portos paranaenses receberam 7,6 milhões de toneladas de mercadorias vindas de outros países. “Em 2010, a importação de fertilizante teve alta de 49% no Porto de Paranaguá, chegou a 5,4 bilhões de toneladas e usamos o Porto de Antonina como alternativa para o desembarque, operando 101.707 toneladas de fosfatos, acido sulfúrico e outros insumos”, lembra o diretor empresarial da Appa, João Batista Lopes dos Santos.  

Também apresentaram alta a importação de derivados de petróleo (669,7 milhões de toneladas – crescimento de 33% em relação a 2009); papel (aumento de 47%); sal (20%); celulose (11%); e óleo vegetal (cinco vezes mais que no ano passado).  

VEÍCULOS E CONTÊINERES: No Porto de Paranaguá, a exportação e importação de carros de passeio, ônibus, tratores e máquinas agrícolas, registraram, juntas, alta de 35% na comparação com o alcançado entre janeiro e novembro de 2009 e 2010. A movimentação cresceu de 120.773 unidades para 162.923 unidades. Destaque para a exportação de mais de 82 mil veículos, alta de 42% no período.  

continua após publicidade

A carga e descarga de contêineres somaram 614.379 TEUs (unidades de 20 pés), acréscimo de 7% em relação aos primeiros 11 meses do ano passado. Foram 308.621 TEUs importados e 305.758 TEUs exportados através do terminal parnanguara, que atualmente disponibiliza duas janelas extras de atracação, oferecidas com dia e hora pré-estabelecidos para serviços semanais regulares de navios de contêineres.  

MERCADO NACIONAL: A navegação de cabotagem, realizada pela costa brasileira, cresceu aproximadamente 14% até novembro. O transporte de cargas entre os Portos do Paraná e os demais terminais do país chegou a 3.171.645 toneladas nos últimos 11 meses. Entre os produtos mais comerciaçizados estão derivados de petróleo (925,2 mil toneladas); GLP (163,7 mil toneladas); e sal (160,7 mil toneladas).  

ANTONINA: O Porto de Antonina mais do que dobrou suas atividades entre janeiro e novembro de 2010. Já são 269,1 mil toneladas de cargas movimentadas no ano, contra cerca de 88,3 mil toneladas carregadas e descarregadas nos 12 meses de 2009. Desde maio, o terminal passou a receber navios de açúcar e fertilizante com preferência de atracação. “Essa medida garantiu a retomada de negócios importantes e a geração de novos empregos, com impacto importante na economia local”, ressalta o diretor do Porto de Antonina, Paulo Moacyr Rocha Filho.