Economia

Paulistano tem menos vontade de ir às compras neste Natal

Da Redação ·

O consumidor quer aproveitar a chegada do fim do ano para voltar a gastar. Uma pesquisa sobre a intenção de compra do paulistano mostra que 76,2% planejam adquirir algum bem entre outubro e dezembro. O número é superior à intenção de compra vista no segundo (74,6%) e no terceiro (75,6%) trimestres deste ano, mas é menor do que o do último trimestre do ano passado (77%).

continua após publicidade

O estudo, feito pelo Provar (Programa de Administração de Varejo) da FIA (Fundação Instituto de Administração), ouviu 500 consumidores na cidade de São Paulo.

continua após publicidade

Os produtos de cine e foto são os mais desejados: 14,2% dos entrevistados disseram que têm a intenção de adquirir ao menos um item desta categoria. Isso significa que 14 de cada 100 pessoas têm ideia de comprar câmeras fotográficas ou filmadoras. Em seguida aparecem os eletroeletrônicos (13,2%).

continua após publicidade

Os aparelhos de informática e os de telefonia e celulares fazem parte da vontade de 12,4% e 10,4% dos consumidores, respectivamente. Na lista, ainda são considerados móveis (procurados por 9,6% das pessoas neste quarto trimestre), linha branca (9,4%), material de construção (6,6%), automóveis (6%), eletroportáteis (5,6%) ou cama, mesa e banho (2,8%).

Claudio Felisoni de Angelo, presidente do Conselho do Provar-Fia, este resultado indica que o consumidor continua confiante com a situação econômica e pretende ir às compras neste final de ano.

continua após publicidade

- O Natal é a data comemorativa de melhor rentabilidade no varejo e esta pesquisa comprova que a intenção de compras para esta época se mantém quase igual à de 2009, período que também foi extremamente positivo para o comércio.

continua após publicidade

O fim do ano passado foi marcado pela retomada do consumo (incentivado em alguns setores com o corte de impostos, como o de veículos e da linha branca) após um início de ano fraco, devido à crise financeira.

As categorias que mais cresceram na preferência do público entre o terceiro e o quarto trimestres deste ano foram os eletroportáteis (aumento de 47,5% na intenção de compra), os eletroeletrônicos (26,9%) e os itens de informática e cine e foto (12,7% cada um). Os produtos de cama, mesa e banho perderam 36,4% das intenções, seguidos pelo material de construção (-15,4%).