Economia

Tarifa de celular no Brasil é a maior entre emergentes

Da Redação ·
 Custo de pacote no Brasil supera custo de vida em países como Angola ou México
fonte: googleimagens.com
Custo de pacote no Brasil supera custo de vida em países como Angola ou México

O brasileiro é o que paga mais caro para usar o celular entre os países emergentes. No país, o custo absoluto do celular é três vezes superior à média dos países em desenvolvimento, segundo um estudo da ONU (Organização das Nações Unidas) feito sobre dados da fabricante de celulares Nokia.

continua após publicidade

Segundo a pesquisa, o mercado interno de telefonia móvel no Brasil reflete as disparidades mundiais no acesso às novas tecnologias, explicadas pelo custo.

continua após publicidade

Um pacote de 165 minutos de conversas, 174 SMS, um download e 2,1 megabytes de dados sai por pouco mais de R$ 199 (US$ 120) aqui no Brasil. As conversões foram feitas com o valor do dólar em relação ao real nesta terça-feira (15).

continua após publicidade

O preço é equivalente ao sobrado pelos mesmos serviços no Zimbábue e supera os custos de Venezuela, Turquia, Nicarágua, Angola, Gabão ou México.

Na Argentina, o mesmo plano sai por menos da metade desse valor. Na Índia, no Paquistão, em Bangladesh e na China, a população paga apenas um sexto do que é cobrado de um brasileiro para usar o celular.

continua após publicidade

Em julho, um grupo de pesquisadores e profissionais da área de Tecnologia da Informação divulgou que o Brasil é o lugar mais caro para ter um celular pré-pago entre todos os 20 países da América Latina e do Caribe.

continua após publicidade

Aqui a tarifa média para esse tipo de serviço gira em torno de R$ 79 (US$ 45), ou 20 vezes mais do que os custos na Jamaica, o mais barato da região: R$ 3,83 (US$ 2,21).

continua após publicidade

Para o Dirsi (Diálogo Regional sobre a Sociedade da Informação), as tarifas na América Latina e no Caribe são mais altas do que em outros países – o que pode fazer do Brasil o mais caro do mundo em matéria de preços da telefonia -, isso porque a pré-paga não depende da renda do consumidor, sendo que as classes baixas é que dominam o uso desse mercado na maioria dos países pesquisados.

O custo da telefonia leva em conta o valor do consumo do pacote mínimo da telefonia durante um mês: uma chamada pré-paga (local e de longa distância) de dois minutos e um SMS (mensagens de texto) por dia. Os valores em dólares foram convertidos pela reportagem do R7 com o dólar valendo R$ 1,76 (pela cotação da época da publicação da reportagem).

O estudo da ONU também avalia como a telefonia está espalhada pelo mundo. O Estado do Maranhão, por exemplo, tem taxa de penetração do celular equivalente à do Butão. O Piauí tem índices similares aos do Congo e da Suazilândia. Já São Paulo e Rio têm taxas de penetração superiores às de alguns dos principais países europeus e mesmo à média nos Estados Unidos. Brasília bate todos os recordes e tem uma das taxas mais elevadas.

Nos últimos anos, o custo da telefonia e da internet no Brasil foi alvo de questionamento nas entidades internacionais. Em seu novo levantamento, a ONU aponta que os custos no Brasil caíram 25% entre 2008 e 2009. Mas o país continua a ter um dos celulares mais caros do planeta.