Economia

Temer pede aplausos à plateia ao dizer que não irá aumentar IR

Da Redação ·
o presidente Michel Temer pediu aplausos ao afirmar que o imposto não será aumentado. Foto: Evaristo Sá
o presidente Michel Temer pediu aplausos ao afirmar que o imposto não será aumentado. Foto: Evaristo Sá

Um dia após admitir estudos para aumentar a alíquota do Imposto de Renda, o presidente Michel Temer pediu aplausos ao afirmar, nesta quarta-feira (9) que o imposto não será aumentado.

continua após publicidade

Apesar de atendido, o presidente também recebeu vaias ao final de seu discurso na cerimônia de abertura do 16º Enaex (Encontro Nacional do Comércio Exterior).

"Quero dizer uma coisa para ganhar aplausos: até ontem [terça] se dizia na imprensa que iríamos aumentar o Imposto de Renda. Não é verdade. Não haverá aumento, absolutamente não haverá", afirmou Temer, recebendo, de fato, os aplausos.

continua após publicidade

Na terça (8), ele havia admitido que havia estudos nesse sentido, como alternativa para evitar o descumprimento de deficit fiscal. Mas o governo recuou depois da repercussão negativa até entre aliados.

Em seu discurso, o presidente não fez referências à crise política, preferindo destacar medidas tomadas pelo seu governo, como a reforma trabalhista e o teto dos gastos públicos.

Enquanto ele falava, pelo menos cinco pessoas da plateia empunhavam cartazes com os dizeres "Fora Temer" e pedindo eleições gerais.

continua após publicidade

O presidente disse que o governo está focado agora na aprovação, até o fim do ano, de três reformas: da Previdência, política e a "simplificação tributária".

Para isso, fechou acordo com o Congresso para que os textos entrem na pauta ainda no segundo semestre.

"Se chegarmos ao final do ano e tivermos completado o ciclo das reformas, teremos um 2018 mais próspero", concluiu.

continua após publicidade

Ao fim do discurso, parte da plateia vaiou o presidente e repetiu gritos de "Fora Temer". O presidente deixou o evento sem dar entrevistas.

NICOLA PAMPLONA
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) -