Economia

Vivendi aposta em banda larga e em novos conteúdos

Da Redação ·

Para a Vivendi, a decisão de comprar a GVT decorreu de duas razões: da qualidade da empresa brasileira, e das características do próprio Brasil, um país com quase 200 milhões de habitantes, com grande parcela de população jovem e um grande potencial de crescimento.

continua após publicidade

Essas palavras refletem a confiança e o otimismo do presidente do Grupo Vivendi, Jean-Bernard Lévy, ao falar esta semana em Paris sobre os planos de sua empresa no Brasil, por intermédio da GVT, adquirida no final de 2009.

continua após publicidade

Em entrevista exclusiva ao jornal O Estado de S.Paulo, o executivo francês diz que a maior prioridade da Vivendi no Brasil é acelerar a oferta de banda larga de alta velocidade, confiável e a preços justos, como faz no mercado francês.

"A partir daí", esclarece, "vamos oferecer nossos conteúdos, baseados em acessos em alta velocidade, como um grande portal de música e jogos de vídeo. Até o final deste ano, abriremos o portal de música, com mais de 1 milhão de canções, para serem baixadas legalmente, com débito em conta. Será um modelo parecido com o iTunes da Apple. Vamos acelerar nossos investimentos na GVT para ocupar os enormes espaços potenciais do mercado brasileiro, a começar por São Paulo, Rio e Minas. Já estamos no Nordeste e as duas primeiras cidades paulistas onde chegamos para mostrar nossos planos foram Sorocaba e Jundiaí. O investimento previsto ainda para este ano é de R$ 1,5 bilhão." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.