Economia

Após críticas, Apple começa a testar emojis com diversidade racial

Da Redação ·
Imagem ilustrativa/ arquivo
Imagem ilustrativa/ arquivo

SÃO PAULO, SP - Alvos de controvérsia por suposto racismo, os emojis (aquelas carinhas usadas em mensagens de texto) devem começar a ser mais racialmente diversos nos aparelhos da Apple. Em uma atualização do sistema operacional OS X Yosemite, aparecem telas em que o usuário pode escolher o tom de pele da figura.

continua após publicidade

A versão do programa, chamada OS X 10.10.3, ainda está em fase de testes para desenvolvedores. Ainda não há informações sobre quando seria o lançamento para o iOS, o sistema operacional usado nos iPhones e iPads.

O tema da diversidade dos emojis ganhou força em 2012, quando a cantora Miley Cyrus iniciou uma campanha on-line sobre o assunto. Em 2013, uma petição on-line exigia que a Apple fizesse mudanças para incluir diferentes tons de pele em seu banco de dados de carinhas. Os autores da petição diziam que havia mais de 800 emojis no sistema e que apenas dois faziam referências a rostos não brancos: a face de um asiático e um homem com turbante.

continua após publicidade

No ano passado, o consórcio Unicode, que cria padrões para como caracteres serão exibidos em diferentes aparelhos e plataformas, anunciou que estava estudando um meio de tornar as "carinhas" mais diversas.

"Pessoas de todo o mundo querem que os emojis reflitam mais diversidade humana, especialmente para o tom de pele", disse o grupo, que tem companhias como Apple, Google e IBM entre os sócios, em um rascunho da proposta. 

O Unicode explica que os emojis que representam pessoas tinham a intenção de ser "genéricos", entretanto essas imagens foram baseadas nas originais criadas por uma companhia japonesa, o que faz com que elas "mostrem um tom de pele mais claro, em vez de ter uma aparência genérica (inumana), como amarelo ou laranja". 

continua após publicidade

Um novo pacote com os padrões, que incluiria essa mudança, deve ser lançado em meados deste ano. As cores serão baseadas na escala Fitzpatrick, usada no setor de dermatologia. 

A Apple já havia dito no ano passado que estava trabalhando com o consórcio para criar opções para a cor da pele das imagens.