Economia

Taxa de juros ao consumidor volta a subir em outubro, diz Anefac

Da Redação ·
Foto: arquivo
Foto: arquivo

SÃO PAULO, SP - Após uma breve trégua em setembro, as taxas de juros cobradas dos consumidores voltaram a subir em outubro, de acordo com pesquisa da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) divulgada nesta segunda-feira (10).

continua após publicidade

Em outubro, os juros médios nas operações de crédito para pessoa física foram de 6,08% ao mês (ou 103,05% ao ano), contra 6,06% mensais (ou 102,59% ao ano) em setembro.

Setembro foi o mês que marcou a primeira queda das taxas de juros ao consumidor após 15 altas consecutivas, refletindo a interrupção, por parte do Banco Central, do ciclo de aumento da taxa básica de juros, a Selic, até então.

continua após publicidade

Em sua última reunião, nos dias 28 e 29 de outubro, o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) anunciou a retomada do ciclo de aperto monetário, após elevar a Selic em 0,25 ponto percentual, a 11,25% ao ano.

Apesar disso, a alta de outubro ainda não reflete essa elevação da taxa, de acordo com a Anefac. Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor da associação, diz que o impacto dessa alta deve começar a ser sentido nos próximos meses.

Em outubro, cinco das seis linhas de crédito pesquisadas pela Anefac tiveram seus juros elevados: juros do comércio, cheque especial, financiamento de veículos, empréstimo pessoal concedido por financeiras e empréstimo pessoal concedido por bancos. Os juros no cartão de crédito se mantiveram estáveis.

continua após publicidade

Os juros médios cobrados de empresas registraram leve queda em outubro, passando de 3,43% em setembro para 3,44% no mês passado.

Das três taxas de juros cobradas de empresas, duas caíram em outubro -desconto de duplicatas e conta garantida- e uma subiu -capital de giro.

No capital de giro, os juros subiram de 1,88% ao mês em setembro para 1,93% em outubro.

Já a taxa de desconto de duplicatas caiu de 2,55% ao mês em setembro para 2,52% mensais em outubro. A conta garantida caiu de 5,89% ao mês em setembro para 5,87% ao mês em outubro.