Economia

Dilma anunciará novo ministro da Fazenda após reunião do G20

Da Redação ·
Atual ministro, Guido Mantega (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)
Atual ministro, Guido Mantega (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

BRASÍLIA, DF - A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (5) que só anunciará o novo ministro da Fazenda após sua participação na reunião do G20 (grupo que reúne grandes economias mundiais), que acontecerá em 15 e 16 de novembro na Austrália. A presidente afirmou que ainda não escolheu o nome a ser anunciado.

continua após publicidade

Guido Mantega, que ocupa o cargo há mais de oito anos, deixará a pasta. Ele foi nomeado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e recebeu aviso prévio durante a campanha eleitoral, quando Dilma anunciou que ele não continuará no cargo.

Nesta terça, Dilma se reuniu com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para fazer a primeira reunião de trabalho sobre o futuro governo. Segundo a reportagem apurou, os dois avaliaram ações para acalmar a base aliada no Congresso e iniciativas para reverter o quadro negativo da economia.

continua após publicidade

Um interlocutor do ex-presidente disse que ele não vai indicar ninguém, mas fará sugestões --o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles é um dos favoritos. Além dele, têm a simpatia de Lula o ex-secretário-executivo da Fazenda Nelson Barbosa e o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco.

Questionada se anunciaria toda a nova composição para a Esplanada dos Ministérios de uma única vez, Dilma respondeu que fará a reforma ministerial por partes.


APOIO DO PSD

continua após publicidade

Dilma participou na manhã desta quarta de um evento, no Palácio do Planalto, de declaração de apoio do PSD ao seu segundo governo.

Capitaneada pelo presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab, governadores, vice-governadores, senadores e deputados eleitos, além do ministro Guilherme Afif (Micro e Pequena Empresa), se revezaram nos microfones por cerca de uma hora para parabenizar Dilma por sua vitória e para endossar o discurso de apoio à petista.