Economia

Governo dá aval a aumento da gasolina, que deve ser confirmado até o fim do mês

Da Redação ·
A alta dos preços deste ano deverá ficar entre 4% e 5% - Foto: Sérgio Rodrigo
A alta dos preços deste ano deverá ficar entre 4% e 5% - Foto: Sérgio Rodrigo

RIO e BRASÍLIA - Durante a reunião do Conselho de Administração da Petrobras, presidido pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que durou nove horas, a companhia foi autorizada pelo governo federal a promover um aumento nos preços da gasolina e do óleo diesel quando julgar o momento adequado. Segundo uma fonte próxima à estatal, pelo que “foi combinado" , o reajuste deverá ocorrer até o fim de novembro - As informações são do "O Globo".

continua após publicidade

Com isso, segundo outra fonte, o impacto do reajuste na inflação deste ano será bem pequeno. No ano passado, a orientação do governo foi a mesma. Para evitar impactos maiores no IPCA, a Petrobras anunciou no dia 30 de novembro de 2013 aumento de 4% no preço da gasolina e de 8% no diesel, nas refinarias.

Segundo as fontes, a alta deste ano deverá ficar entre 4% e 5%. Assim, dizem, a estatal vai conseguir recuperar parte das perdas acumuladas neste ano, com a defasagem dos preços, quando vendia a gasolina e o diesel em suas refinarias a preços inferiores aos que comprava do mercado externo. Na semana passada, devido à queda das cotações do petróleo no mercado externo, o preço da gasolina no Brasil estava 1% acima do cobrado no exterior, segundo cálculos do Centro Brasileiro de Infra Estrutura (CBIE).

continua após publicidade

Graça: ‘Reajuste pratica-se’

Após nove horas de reunião, em Brasília, os conselheiros deixaram o escritório da Petrobras sem adiantar nenhum detalhe sobre o reajuste dos combustíveis.

Ao deixar a reunião, no início da noite, a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, disse apenas que reajuste da gasolina “pratica-se”. Indagada sobre o possível aumento no preço dos combustíveis, respondeu:

continua após publicidade

— Reajuste de gasolina não se anuncia. Pratica-se.

Informações são de "O Globo" - Confira matéria completa AQUI