Economia

Dólar recua com especulação sobre apoio a Aécio

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Dólar recua com especulação sobre apoio a Aécio
Dólar recua com especulação sobre apoio a Aécio

As expectativas com o cenário eleitoral pesaram sobre o mercado de câmbio nesta terça-feira, 7, pelo segundo dia seguido, após o primeiro turno das eleições, realizado no último domingo, mostrar um forte desempenho do candidato Aécio Neves (PSDB). Os investidores monitoram agora a possibilidade de a candidata Marina Silva (PSB) anunciar um apoio formal ao candidato mineiro, que disputará o segundo turno com a presidente Dilma Rousseff (PT).

continua após publicidade

No fim do dia, o dólar à vista terminou a sessão cotado a R$ 2,4060 (-0,95%). O volume de negócios somou US$ 1,416 bilhão. No mercado futuro, o dólar para novembro recuava 1,02%, a R$ 2,4190.

Marina disse, em nota oficial, que definirá posição sobre segundo turno na quinta-feira. De acordo com a colunista Sonia Racy, do jornal "O Estado de S.Paulo", a ex-ministra teria concordado em apoiar Aécio em troca de ajustes no programa de governo tucano. Marina quer a inclusão da sustentabilidade na agenda e inserção de algumas de suas propostas nas áreas de educação e ambiente. O grupo político da ex-candidata à Presidência não foi ainda registrado como partido e está inserido, por tempo ainda indeterminado, no PSB.

continua após publicidade

Na nota oficial, Marina afirmou também que as opiniões individuais de cada partido, dirigentes e líderes das legendas da Coligação Unidos pelo Brasil, da qual fez parte, "devem ser respeitadas", mas não refletem, "em nenhuma hipótese", o seu posicionamento no segundo turno.

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, reiterou nesta terça-feira o aceno que fez a Marina, dizendo que há convergências importantes entre as propostas de governo dela e as suas. "Reitero que nossa proposta de governo está sempre aberta às novas contribuições porque o projeto de governo está aberto aos aprimoramentos."

Mais cedo, o Banco Central realizou os dois leilões de contratos de swaps cambiais programados. No leilão tradicional, foram vendidos os 4 mil contratos ofertados para os dois vencimentos, no valor total de US$ 197,3 milhões. Na rolagem dos títulos que vencem em 3 de novembro de 2014, o BC vendeu 8 mil contratos de swap, num total de US$ 393,6 milhões.