Economia

Dólar fecha perto da estabilidade

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Dólar fecha perto da estabilidade
fonte: Foto: arquivo
Dólar fecha perto da estabilidade

O dólar fechou a sessão desta sexta-feira, 20, perto da estabilidade ante o real, após reduzir os ganhos durante a tarde diante da falta de notícias para impulsionar a moeda. A alta moderada registrada pelo dólar e o recuo dos juros dos Treasuries no exterior também contribuíram para limitar o fôlego da moeda dos EUA no mercado de câmbio doméstico.

No fim do dia, o dólar terminou em R$ 2,2310 (+0,04%) no balcão. Na semana, o dólar também acumulou alta de apenas 0,04%. O giro de negócios totalizou US$ 1,198 bilhão, sendo US$ 1,11 bilhão em D+2. Na máxima do dia, o dólar foi negociado a R$ 2,2420 e, na mínima, a R$ 2,2300. No mercado futuro, a moeda era cotada a R$ 2,2310 (+0,07%). O volume de negócios era de cerca de US$ 10 bilhões.

O dólar passou a primeira parte da sessão em alta ante o real e chegou a bater máximas consecutivas, acompanhando o comportamento registrado ante outras divisas no exterior. A aversão ao risco devido à escalada da violência no Iraque impulsionou os preços do petróleo e do ouro e beneficiou o dólar ante algumas moedas ligadas à commodities.

A alta dos juros dos Treasuries no início do dia também ajudou a sustentar a valorização do dólar, mas os ganhos das taxas perderam força no decorrer da sessão, o que acabou limitando o avanço da moeda no mercado doméstico. Segundo analistas, o avanço do dólar mais cedo refletiu também a pesquisa CNI/Ibope divulgada ontem, quando o mercado estava fechado em razão do feriado de Corpus Christi.

O levantamento indicou leve oscilação nas intenções de voto para a reeleição da presidente Dilma Rousseff. Ela tem 39%, ante 38% na pesquisa anterior, divulgada em 10 de junho pelo Ibope. A variação ocorreu dentro da margem de erro da pesquisa, mas aponta para um segundo turno nas eleições de outubro. O candidato do PSDB, Aécio Neves, também oscilou de 22% há uma semana para 21%. Já o pré-candidato do PSB, Eduardo Campos, que tinha 13% das intenções de voto, agora tem 10%. A pesquisa anterior divulgada pelo Ibope no dia 10 de junho foi contratada pela União dos Vereadores do Estado de São Paulo (Uvesp).

continua após publicidade