Economia

Dólar fecha em alta pelo 3º dia, mesmo com IOF

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Dólar fecha em alta pelo 3º dia, mesmo com IOF
fonte: Foto: arquivo
Dólar fecha em alta pelo 3º dia, mesmo com IOF

O dólar, que oscilou bastante ao longo do dia entre altas e baixas, fechou o dia com valorização ante o real, marcando o terceiro dia consecutivo de ganhos. A moeda encerrou o dia com ganho de 0,22%, fechando cotada a R$ 2,2840 no balcão.

O contrato futuro para julho tinha alta de 0,09% por volta de 16h30, a R$ 2,2995. No mesmo horário, o giro estava em US$ 962,38 milhões, sendo US$ 837,91 milhões em D+2, segundo dados da clearing de câmbio da BM&FBovespa. No mercado futuro, o volume de negócios atingia US$ 14,32 bilhões.

Logo pela manhã, o governo anunciou a redução de 360 dias para 180 dias do prazo médio mínimo das captações externas com isenção de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o objetivo da medida não é normalizar o mercado de câmbio visando o controle da inflação, como especulam alguns agentes do mercado financeiro. "Essa medida vai facilitar a liquidez de alguns segmentos da economia, mas não tem objetivo direto em relação à inflação", disse.

Desde o fim do mês passado, a moeda norte-americana tem se valorizado ante o real, em movimento influenciado tanto pelo exterior quanto pela especulação de que o Banco Central possa alterar seu programa de oferta de hedge cambial. No mês, o dólar à vista marca alta de 1,96% ante o real.

A moeda chegou a abrir o dia em queda, com a medida do IOF, mas virou com o exterior e ganhou força no fim da manhã com dados melhores do que o esperado do setor de serviço dos Estados Unidos. O índice ISM marcou 56,3 em maio, ante previsão de 55,2.

Também pela manhã, o BC vendeu os 4 mil contratos de swap cambial ofertados hoje, distribuídos nos dois vencimentos. O valor total da venda foi de US$ 198,8 milhões. Na sequência, vendeu os 10 mil contratos de swap cambial ofertados hoje na operação de rolagem de títulos que vencem em 1º de julho de 2014. O valor total da operação foi de US$ 495,1 milhões, com vencimento em 1º de abril de 2015.

Já o fluxo cambial ficou negativo em US$ 813 milhões em maio. As operações financeiras responderam por uma saída líquida de US$ 2,735 bilhões. Já no comércio exterior, o saldo está positivo em US$ 1,922 bilhão. A entrada de dólares no País superou a saída em US$ 663,3 milhões na semana passada. Os bancos fecharam maio com posição vendida no mercado de câmbio no valor de US$ 14,342 bilhões.

Os investidores esperam para a manhã desta quinta-feira, antes da abertura do mercado, a ata da última reunião do Copom. Logo na sequência, o Banco Central Europeu anuncia sua aguardada decisão, com o mercado apostando em afrouxamento monetário. Já na sexta-feira, sai nos Estados Unidos o relatório de emprego referente ao mês de maio (nonfarm payrolls), enquanto por aqui serão divulgados o IPCA e o IGP-DI de maio.

continua após publicidade