Economia

Apple paga US$ 3 bilhões pela Beats

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Apple paga US$ 3 bilhões pela Beats
fonte: Foto: Arquivo
Apple paga US$ 3 bilhões pela Beats

A Apple confirmou, na quarta-feira, 28, a compra da empresa Beats Electronics por US$ 3 bilhões. A negociação inclui tanto a Beats Audio Hardware, fabricante de fones de ouvido e outros eletrônicos, quanto a Beats Music, serviço de streaming de música.

Em comunicado à imprensa, a fabricante do iPhone afirma que, com a aquisição, os fundadores da Beats - o executivo da indústria da música Jimmy Iovine e o rapper Dr. Dre - passam a integrar a equipe de funcionários da Apple. A empresa pagará US$ 2,6 bilhões à vista e os outros US$ 400 milhões serão pagos ao longo do tempo com ações.

O anúncio confirma os rumores surgidos no início do mês de um acordo entre as duas empresas. O valor da compra, porém, ficou um pouco abaixo dos US$ 3,2 bilhões estimados inicialmente por uma reportagem do Financial Times.

"Música é uma parte tão importante de nossa vida e tem um lugar especial dentro dos nossos corações na Apple", afirmou Tim Cook, presidente da Apple. "É por essa razão que nós continuamos investindo em música e estamos trazendo esse time extraordinário para que possamos continuar criando os produtos e serviços mais inovadores de música no mundo", afirmou.

O discurso de Cook indica que o principal interesse da Apple é no serviço de streaming de música Beats Music, e não nos fones coloridos que tornaram a Beats famosa.

Após o sucesso do modelo de venda de música pelo iTunes, a empresa vem tentando ganhar seu espaço no mercado de streaming, mas ainda não havia conseguido emplacar a sua aposta na área, o iTunes Radio.

"A adição da Beats fará nossa oferta de música ainda melhor. Teremos de streaming gratuito à iTunes Radio, passando por um serviço mundial de assinatura do Beats, e, claro, compra de música na iTunes Store, como os nossos consumidores amam fazer há anos", disse o vice-presidente de software de internet e serviços da Apple, Eddy Cue. A Apple espera que a aquisição seja concluída no último trimestre de 2014.

Investimento

A aquisição da Beats é a maior já feita pela Apple e coloca o negócio no mesmo patamar de recentes e grandes compras de startups feitas no Vale do Silício, como a da Nest pelo Google (US$ 3,2 bilhões) e do WhatsApp pelo Facebook (US$ 19 bilhões).

"Sempre soube no meu coração que a Beats pertencia à Apple", afirmou Jimmy Iovine. "Quando nós começamos, a empresa era inspirada na capacidade inigualável da Apple de casar cultura e tecnologia. O comprometimento da Apple com os fãs de música, artistas, compositores e a indústria da música é algo especial", declarou Iovine, que colabora com a Apple há mais de uma década, especialmente com artistas que estão no Itunes.

A Beats, criada em conjunto por Iovine e Dr. Dre em 2006, surgiu para redefinir o mercado dos grandes fones de ouvido, que voltaram a se popularizar com a explosão do uso de MP3 players, como o iPod, da Apple. Os fones coloridos da marca lançados em 2008 logo ganharam status de acessório de moda.

No início do ano, a empresa lançou o seu serviço de streaming Beats Music nos Estados Unidos, com o intuito de tirar a liderança de mercado do sueco Spotify. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

continua após publicidade