Economia

Sesa e BRDE lançam empréstimo para hospitais

Da Redação ·
 O presidente do BRDE Airton Pisseti, fala durante a Escola de Governo
fonte: Arnaldo Alves
O presidente do BRDE Airton Pisseti, fala durante a Escola de Governo

O secretário da Saúde, Carlos Moreira Junior, e o presidente do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Airton Pisseti, apresentaram nesta terça-feira (08), na Escola de Governo, a modalidade de empréstimo exclusiva para hospitais públicos e filantrópicos que prestam serviço ao Sistema Único de Saúde (SUS). Com este empréstimo, com condições especiais, os hospitais poderão investir na construção, reforma e ampliação de novas alas ou na compra de equipamentos.
 

continua após publicidade

O financiamento é estendido também às clínicas médicas e odontológicas, laboratórios de análises clínicas e cooperativas médicas, que poderão financiar 100% do projeto e terão prazo de 10 anos para quitar a dívida, com carência de dois anos para início do pagamento que terá como garantia a própria fatura de serviços prestados ao SUS.
 

A taxa de juro varia de acordo com o projeto, sendo 5,5% ao ano para equipamentos e 0,9% ao mês para obras físicas. Além da construção, reforma e ampliação da área física e da compra de equipamentos, o empréstimo pode ser utilizado ainda para a aquisição de móveis e utensílios e para capital de giro do projeto.
 

continua após publicidade

Dos 540 hospitais existentes no Paraná, 455 prestam serviços ao Sistema Único de Saúde, sendo que 167 são hospitais públicos. “Muitos destes hospitais são filantrópicos e dependem do repasse do Sistema Único de Saúde para manter os serviços. Agora vamos contribuir, por meio do BRDE, para que estes hospitais melhorem a estrutura física e adquiram equipamentos mais modernos”, explicou o secretário Moreira Junior.
 

O presidente do BRDE, Airton Pisseti, explicou que o banco percebeu esta necessidade de financiamento exclusivo para hospitais quando teve o primeiro contato com o Hospital do Câncer de Londrina, em 2008. “Percebemos que, além dos recursos, poderíamos também contribuir com consultoria técnica. A experiência deu tão certo que propomos ampliar esta modalidade para todos hospitais. São prazos longos e juros facilitados”, afirmou.
 

O vice-presidente da Federação dos Hospitais do Paraná (Fehospar), Luis Rodrigo Milano, disse que este tipo de financiamento é uma necessidade. “É um passo muito importante para a consolidação da saúde do Estado do Paraná”, disse. Já o presidente da Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Paraná (Femipa), Maçazumi Niwa, parabenizou a Secretaria de Saúde e o BRDE e ressaltou que esta iniciativa possibilita a “renovação dos equipamentos e proporciona a modernização dos hospitais”, disse.