Economia

Conab revisa safra 2013/2014 para 191,25 mi de toneladas

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Conab revisa safra 2013/2014 para 191,25 mi de toneladas
Conab revisa safra 2013/2014 para 191,25 mi de toneladas

A produção brasileira de grãos na safra 2013/14 deve alcançar 191,25 milhões de toneladas, o que corresponde a um aumento de 1,4% (mais 2,6 milhões de toneladas) em comparação com o período anterior (188,7 milhões de toneladas). O resultado faz parte do 8º levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta quinta-feira, 8.

Com relação à pesquisa do mês passado, houve um incremento de cerca de 600 mil toneladas, por causa da "recuperação das lavouras de soja, algodão, arroz e feijão, que tiveram menor influência de intempéries climáticas ocorridas nas regiões produtoras", informa a Conab. No entanto, "o trigo, cultura passível de sofrer mais os efeitos das mudanças do clima e por se encontrar no início do plantio, pode alterar este resultado", pondera a companhia.

O trigo, em termos percentuais, é destaque no atual levantamento, apresentando um incremento de 24,5% (mais de 1,35 milhão de toneladas), alcançando 6,9 milhões de toneladas. A seguir vem a soja, que continua com bom desempenho. O crescimento foi de 6,2% ou 5,1 milhões de toneladas, para 86,6 milhões de toneladas. O arroz também contribuiu, com um aumento de 6,9% (812,6 mil toneladas), para aproximadamente 12,6 milhões de t nesta safra. O feijão total cresceu 26,8% (752,6 mil de toneladas), alcançando 3,6 milhões de toneladas.

O milho total (primeira e segunda safras) deve apresentar redução de 7,7% (6,3 milhões de toneladas), com colheita de 75,2 milhões de toneladas. No ano passado, a produção foi de 81,5 milhões de toneladas. A primeira safra reduziu 9%, totalizando 31,5 milhões de toneladas e a segunda, 6,8%, alcançando 43,8 milhões de toneladas.

O ministro da Agricultura, Neri Geller, e o presidente da Conab, Rubens Rodrigues dos Santos, vão detalhar os resultados logo mais, em Brasília.

continua após publicidade