Economia

Não é preciso maior flexibilização monetária, diz Kuroda

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Não é preciso maior flexibilização monetária, diz Kuroda
fonte: Foto: Arquivo
Não é preciso maior flexibilização monetária, diz Kuroda


O presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, admitiu a possibilidade de um crescimento mais fraco após o recente aumento do imposto sobre vendas, mas afirmou que não vê qualquer necessidade de uma maior flexibilização monetária por enquanto. Kuroda reiterou que não tem dúvidas sobre a capacidade de o Japão atingir a meta de inflação de 2% dentro do prazo.

"Não estou pensando em nenhuma medida adicional de flexibilização neste momento", disse Kuroda em entrevista coletiva, após a reunião de política monetária do banco central japonês. Ele ainda afirmou que não é apropriado discutir possíveis medidas de estímulo no momento e que o BoJ manterá a postura de ajustar a política monetário se for necessário.

"A política de flexibilização está tendo efeito sobre a economia do Japão em linha com as expectativas".

Além disso, o presidente do BoJ afirmou que está "tão convencido quanto antes" de que o BoJ pode atingir a meta de inflação até a primavera de 2015, acrescentando que esse é seu principal objetivo político. Ele disse que as empresas estão mais otimistas que os economistas sobre as perspectivas de inflação.

Com o aumento do imposto sobre vendas, o BoJ ainda está reunindo informações para avaliar os impactos da medida no consumo e sobre a necessidade de anunciar uma flexibilização monetária adicional.

Sobre a alta do imposto, Kuroda disse que espera que os efeitos da medida percam força perto do verão. O presidente do BoJ ainda afirmou que a elevação do imposto não determinará o fim da recuperação moderada da economia japonesa. "Não vimos queda da demanda acima do previsto após aumento do imposto sobre vendas", avaliou Kuroda, acrescentando que os risco de deterioração da economia japonesa estão diminuindo.

Mais cedo, o BoJ manteve a política monetária e informou que a economia continua a se recuperar moderadamente, embora com algumas flutuações por causa do imposto. Com informações da Dow Jones Newswires.

continua após publicidade