Economia

Fleury diz que acionista negocia venda de participação

Da Redação ·
Se confirmada, uma mudança no controle do Fleury seria o mais recente movimento societário no setor privado de saúde do Brasil.
fonte: Arquivo
Se confirmada, uma mudança no controle do Fleury seria o mais recente movimento societário no setor privado de saúde do Brasil.

A empresa de medicina diagnóstica Fleury informou hoje que seu controlador indireto Core Participações iniciou negociações exclusivas com a gestora Gávea Investimentos para potencial venda da totalidade de sua participação acionária direta e indireta na companhia.

A Core possui direta e indiretamente mais de 40% do capital do Fleury, segundo informações das companhias e da Bovespa.

O comunicado segue informações divulgadas no mês passado de que a Core recebeu ofertas por sua fatia na Fleury, em mais um sinal de atratividade do setor privado brasileiro de saúde. Há meses já há rumores de que a Core estaria disposta a vender sua participação na Fleury.

Em meados de novembro passado, a empresa informou que a Core tinha contratado o JPMorgan para avaliar alternativas estratégicas para sua fatia, "inclusive com eventual ingresso de novos investidores".

Uma mudança no controle do Fleury seria o mais recente movimento societário no setor de saúde privado brasileiro.

Em outubro de 2012, o empresário Edson Bueno e sua ex-esposa Dulce Pugliese de Godoy Bueno venderam o controle da companhia de saúde Amil para a norte-americana United Health por cerca de R$ 10 bilhões.

Bueno não abandonou o setor de saúde e em fevereiro assumiu, junto com a ex-esposa, o controle da empresa de medicina diagnóstica Dasa, após desembolsar quase R$ 1,8 bilhão para comprar ações da rival do Fleury em leilão na Bovespa.

continua após publicidade