Economia

Copel bate recorde de investimentos em melhoria da rede elétrica

Da Redação ·
A principal obra foi a Usina de Mauá, inaugurada em dezembro de 2012, com investimento de R$ 1,7 bilhão - imagem -arquivo TN
A principal obra foi a Usina de Mauá, inaugurada em dezembro de 2012, com investimento de R$ 1,7 bilhão - imagem -arquivo TN

A Copel fez investimentos de R$ 5,3 bilhões de 2011 a 2013, um recorde na história da companhia. Foram obras de novas usinas de geração, linhas de transmissão, subestações, fibra óptica e melhorias na rede de distribuição de energia elétrica em todas as regiões do Paraná, onde a Copel atende mais de 10 milhões de pessoas. 

A principal obra foi a Usina de Mauá, inaugurada em dezembro de 2012, com investimento de R$ 1,7 bilhão, em parceria com a Eletrosul. Construída entre Telêmaco Borba e Ortigueira, no rio Tibagi, a usina tem capacidade de 363 megawatts, energia suficiente para atender 1 milhão de pessoas. 

Na área de geração de energia, também foi inaugurada a Pequena Central Cavernoso 2, com investimento de R$ 120 milhões. Ela fica no rio Cavernoso, entre Virmond e Candói, e tem capacidade de 19 megawatts. 

A Copel iniciou, com a Neoenergia, a construção da usina Baixo Iguaçu, entre Capanema e Capitão Leônidas Marques, no rio Iguaçu. O investimento será de R$ 1,5 bilhão, com 30% de participação da Copel. 

Na área de transmissão de energia, foram construídas linhas importantes, como a ligação entre as subestações Foz do Iguaçu e Cascavel, concluída em 2011. O empreendimento, com 116km de extensão, teve investimento de R$ 100 milhões. Outras novas linhas importantes são Umuarama/Cascavel Oeste; Umuarama/Guaíra; Curitiba Oeste; Londrina/Figueira. 

DISTRIBUIÇÃO – desde 2011, a Copel investiu de forma consistente no setor de distribuição, que fornece energia aos paranaenses. Foram construídas novas subestações em várias cidades, como Curitiba, São José dos Pinhais, Arapongas, Foz do Iguaçu, Tunas do Paraná, Guaratuba, Mandirituba, Prudentópolis, Maringá, Londrina, Ibaiti, Barbosa Ferraz, Marialva, União da Vitória, Paulo Frontin, Arapoti, Toledo, Chopinzinho e Santa Helena. 

Também foram ampliadas as subestações Olímpico, em Cascavel, e Mercês, em Curitiba. O setor de distribuição concluiu ainda novas linhas de alta tensão, como a linha entre as subestações de Altônia e Guaíra. 

O litoral do Paraná recebeu um investimento recorde de R$ 55 milhões. O maior investimento, de R$ 26 milhões, foi na instalação de 22km de cabos de energia subaquáticos na região de Guaraqueçaba para atender às ilhas da região. Entre as obras também estão a modernização das subestações de Antonina e de Morretes, além de melhorias da rede elétrica em Paranaguá, Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná. 

A Copel melhorou ainda o atendimento aos clientes, instalando 256 novas agências e postos de serviço em 2011, garantindo assim postos em todas as cidades do Paraná em que atua. 

Nos últimos anos, a companhia conquistou prêmios importantes, como o de melhor prestadora de serviços de energia elétrica da América Latina (Prêmio Cier 2012). No mesmo ano, ficou em primeiro no Prêmio Abradee, da Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica. A companhia também foi escolhida a melhor empresa do setor elétrico pela Revista IstoÉ Dinheiro. 

FAMÍLIAS CARENTES - para apoiar as comunidades que mais precisam, a Copel tem o programa Geladeira da Família. A cada ano, 12 mil famílias são beneficiadas pelo programa, com a troca da geladeira velha por outra mais moderna. 

continua após publicidade
confira também



O objetivo é evitar o desperdício de energia provocado por equipamentos que não apresentam condições adequadas de uso. A geladeira fornecida pelo programa tem capacidade de 250 litros e selo do Programa Nacional de Conservação de Energia (Procel), que confere alta eficiência ao eletrodoméstico. O programa é executado com autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) por meio do Programa de Eficiência Energética. 

Com a nova geladeira, as famílias podem reduzir o consumo para se enquadrar no programa Luz Fraterna. O teto de consumo mensal de energia do programa cresceu de 100kwh para 120kwh. Os consumidores de baixa renda cadastrados no Luz Fraterna têm a conta de luz quitada pelo Governo do Estado quando o consumo mensal não ultrapassa o teto. Com a ampliação, o programa passa de 160 mil famílias atendidas para mais de 220 mil famílias. 



100% DIGITAL - em 2012, a Copel Telecom completou a rede de fibra óptica em todos os 399 municípios do Paraná. Foi o primeiro Estado a conseguir uma cobertura de 100%. Até 2010, ela alcançava 242 municípios. 

Com a rede da Copel Telecom, o Estado entra em nova era digital para o cidadão, a indústria, o comércio e os serviços públicos, particularmente escolas e hospitais, que podem contar com uma infraestrutura de telecomunicações, conectividade e transmissão de dados. 

Em parceria com a Sercomtel, de Londrina, a fibra óptica permite conexão à telefonia fixa, acesso à internet e transferência de dados com velocidade de até 100 Mbps. 

COMPETITIVIDADE - em 2011, a Copel voltou a ser forte, reconquistando espaço de destaque no cenário nacional. A companhia participou de leilões em outros Estados, em busca de oportunidades para aumentar receitas, o que resulta em mais recursos para o Governo do Paraná, acionista majoritário da Copel. 

A companhia conquistou leilões para empreendimentos em nove Estados para construção de usinas, linhas de transmissão e subestações. No Mato Grosso, a companhia constrói a Usina Colíder, que já está com 60% das obras concluídos. 

A Copel também fez uma grande parceria com a chinesa State Grid, a maior empresa de transmissão de energia do mundo. Juntas, Copel e State Grid constroem subestações e 2.500 km de linhas de transmissão, com investimento de R$ 3,6 bilhões. 

A Copel criou uma subsidiária para atuação com energias limpas e alternativas, a Copel Renováveis. A empresa já está presente em quatro parques eólicos no Rio Grande do Norte. 

Investimentos da Copel 

2009 – R$ 944 milhões 

2010 – R$ 1,02 bilhão 

2011 – R$ 1,43 bilhão 

2012 – R$ 1,87 bilhão 

2013 – R$ 2 bilhões