Economia

Comércio aposta em prazos longos no Dia das Mães

Da Redação ·

O comércio aposta em prazos mais longos de pagamento, que chegam a 30 meses para as TVs, e na disposição do consumidor de ir às compras neste Dia das Mães, mesmo com a volta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os eletrodomésticos da linha branca e da recente alta da taxa básica de juros.

continua após publicidade

Duas pesquisas nacionais com lojistas, uma da Serasa Experian e outra da Associação de Lojistas de Shoppings (Alshop), indicam que as vendas devem crescer, em média, 5,3% e 7%, respectivamente, no Dia das Mães deste ano em relação à mesma data de 2009.

continua após publicidade

Dados da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) mostram que as consultas para vendas à vista e a prazo cresceram em média 9,3% em relação ao mesmo mês de 2009. "Se fizer frio esta semana, o crescimento de vendas do Dia das Mães poderá chegar a 11%", afirma o economista da entidade, Emílio Alfieri. Mesmo que não ocorra queda na temperatura, José Galló, presidente das Lojas Renner, especializada em artigos de vestuário, aposta num bom Dia das Mães. "Todas as variáveis para consumo estão em alta."

Os shoppings isoladamente projetam taxas de crescimento de vendas mais robustas, em torno 15% na comparação com 2009. E o comércio eletrônico prevê 40%, segundo o e-bit. "A volta do IPI para os eletrodomésticos e a alta dos juros não atrapalharão as vendas do Dia das Mães", afirma o assessor econômico da Serasa Experian, Carlos Henrique de Almeida. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.