Economia

Presidente do BC diz que "derivativos exóticos" são insignificantes no momento

Da Redação ·





Por Toni Sciarretta, Enviado especial

CAMPOS DO JORDÃO, SP, 31 de agosto (Folhapress) - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, disse hoje que não identificou até o momento bancos e empresas que terão perdas significativas devido a apostas erradas com o câmbio, como ocorreu em 2008. À época, empresas como Sadia e Aracruz quase quebraram porque se comprometeram a fornecer dólares com preço baixo ao mercado quando a moeda americana disparou.

"Ao contrário do que observamos em 2008, não identificamos no momento estratégias com alavancagem ou aceleradores. Derivativos tidos como exóticos hoje são insignificantes em relação aos valores totais transacionados", disse.

Para Tombini, está em curso um processo importante de transição na economia global, como a desmontagens dos mecanismos e estímulos para o período de crise global. "Será uma transição positiva porque significa que a recuperação da maior economia do planeta está ganhando força e isso representará maior crescimento da economia e do comércio global mais à frente", disse.

Segundo Tombini, nos últimos cinco anos o mundo conviveu com uma política monetária não convencional ao extremo. No entanto, afirmou ele, o processo de normalização nas economias avançadas já começou e essa mudança está se refletindo nas variáveis financeiras.

"Os mercados, como sabemos, se anteciparam aos fatos. Na ausência de informações claras e precisas de como se dará esse processo de retirada dos estímulos monetários, o preço dos ativos financeiros estão mais voláteis, oscilando ao sabor dos dados sobre o ritmo de atividade da economia dos EUA."

"As economias emergentes são as mais impactadas, sempre foi assim, e não é diferente no caso da economia brasileira. No entanto, o Brasil está preparado para enfrentar essa volatilidade", completou.

Segundo o presidente do BC, o sistema financeiro está sólido, com elevados níveis de capital, liquidez e provisionamento. "O Banco Central irá adotar as providências necessárias para assegurar a estabilidade do sistema financeiro e o bom funcionamento dos mercados", disse.
 

continua após publicidade