Economia

BP anuncia parceria com Petrobras em 5 blocos

Da Redação ·
A BP anunciou nesta segunda-feira, 15, acordo com a Petrobras de parceria em cinco blocos em águas profundas operados pela estatal, na Bacia Potiguar, desde 2005. As empresas não divulgaram valores da operação, que está sujeita à aprovação de reguladores. Os blocos ficam na margem equatorial, onde a BP concentrou suas operações no Brasil. Pelo acordo, a BP assumirá 30% de participação em dois blocos que pertencem ao contrato BM-POT-16 e 40% de três blocos do contrato BM-POT-17. Juntos, cobrem uma área total de 3.837 quilômetros quadrados. Ficam entre 40 e 110 km da costa dos Estados do Rio Grande do Norte e Ceará, em águas com profundidade entre 1.400 e 2.100 metros. A Petrobras havia comprado a operação da concessão na 7ª Rodada, e dois dos blocos terão vencimento final do prazo exploratório em janeiro de 2014 (POT-M-853 e POT-M-855). De acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que terá ainda de referendar o acordo, o primeiro período de exploração venceu em três dos blocos (POT-M-665, POT-M-853 e POT-M-855). A ANP não informou se os prazos foram estendidos. A Petrobras havia comprado a participação nos cinco blocos em 2005 por R$ 16,4 milhões ao todo (valor correspondente à soma de sua participação em cada consórcio, tendo como parceira em todos a Petroleos de Portugal S/A - Petrogal). Em abril, a Petrobras vendeu também à BP uma participação de 20% em seis blocos no Golfo do México, como parte de seu plano de desinvestimento - uma forma de levantar caixa para investir no pré-sal. Por eles receberia US$ 110 milhões mais aumento de participação em um sétimo bloco onde a Petrobras está presente. Com o anúncio, a BP praticamente dobrou, em dois meses, para 27, o número de blocos no Brasil. Em 22 tem parceria com a Petrobras. Até 6 de maio, a BP tinha 14 concessões no País. Além das cinco participações acordadas, em maio, comprou participações em mais oito blocos na 11ª rodada de licitações. Pagou ao menos R$ 238 milhões e espera assinatura do contrato até agosto. "Valores envolvidos não foram divulgados, mas entendemos que tal venda reflete a continuidade do plano de desinvestimentos da petrolífera nacional", disseram analistas da corretora Concórdia em relatório. Também em maio, a BP anunciou acordo de venda de sua participação de 60% no campo de Polvo para a HRT, por US$ 135 milhões. A BP foi responsável por um dos piores acidentes ambientais dos Estados Unidos, em 2010, no Golfo do México.
continua após publicidade