Economia

Entregas dos Correios podem sofrer atraso por paralisação de caminhoneiros

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 4 de julho (Folhapress) - Os Correios informaram na tarde de hoje que, do total da carga que trafega diariamente nas rodovias bloqueadas por causa da paralisação dos caminhoneiros, menos de 30% poderá sofrer pequenos atrasos na sua entrega.

Os protestos de caminhoneiros interditam rodovias do país desde segunda-feira e já deixaram, entre a noite de quarta-feira e a manhã desta quinta, pelo menos cinco mortos em dois Estados: Bahia e Rio Grande do Sul.

Em nota, os Correios informaram que adotam medidas para minimizar os possíveis atrasos. Em algumas rotas, o transporte de cartas e encomendas expressas -que possuem prazo de entrega- está sendo feito por avião, como por exemplo entre o Rio de Janeiro e São Paulo e entre a capital fluminense e Belo Horizonte.

Assim que as estradas forem liberadas, a empresa pretende aumentar a quantidade de veículos e reforçar as equipes para agilizar o encaminhamento e a distribuição da carga afetada pela paralisação.
 

continua após publicidade