Economia

Empresas de Eike se recuperam e Bovespa opera em alta

Da Redação ·
Crédito da foto - www.sitebarra.com.br
fonte:
Crédito da foto - www.sitebarra.com.br

Após quatro dias de queda, o principal índice acionário da Bolsa de Valores de São Paulo (BM&Bovespa) opera em alta nesta quinta-feira (4), ajudada pelo bom humor externo, depois que o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, sinalizou que a instituição pode reduzir as taxas de juros da região e afirmou que o fim do programa de estímulos está bastante distante. O dia também é de recuperação dos papéis das empresas do grupo de Eike Batista, que aparecem como os destaques de alta.

Às 14h25 (horário de Brasília), o Ibovespa avançava 2,2%, aos 46.036 pontos. Perto deste horário, os papéis da OGX, petrolífera de Eike Batista – que vêm amargando perdas profundas nos últimos pregões – subiam 17,95%, para R$ 0,46.

continua após publicidade
confira também


Também apareciam como as principais altas do dia as ações da MMX, que subiam 7,75%, para R$ 1,39; e as da LLX, com alta de 6,25%%, para R$ 0,85.

As ações da MPX avançavam 9,30%, para R$ R$ 7,05. Na quarta-feira, a empresa de energia com negócios complementares em geração elétrica e exploração e produção de gás natural na América do Sul, anunciou que o empresário Eike Batista renunciou ao conselho de administração da companhia. Em nota, também foi informado um aumento de capital privado de R$ 800 milhões para reforçar o caixa da MPX em meio a turbulências enfrentadas no mercado.

Os papéis preferenciais da blue chip Vale também sobem forte depois de a mineradora ter obtido licença do Ibama para seu maior projeto na história, ajudando a impulsionar o Ibovespa. As ações PNA avançavam 3,77%, para R$ 26,98.


Quarta queda do Ibovespa
Na quarta-feira, o principal índice do mercado acionário brasileiro fechou em queda pelo 4º pregão consecutivo, mais uma vez pressionado pelo tombo da petrolífera OGX, de Eike Batista, em dia marcado também por preocupações com o cenário doméstico e tensões políticas no exterior.
Após um pregão volátil, o Ibovespa reduziu as perdas nos ajustes de fechamento, encerrando em baixa de 0,41%, a 45.044 pontos.