Economia

Bolsas da Europa caem à espera de BCE e dado nos EUA

Da Redação ·
As Bolsas da Europa fecharam em queda nesta terça-feira, 2, com investidores realizando lucros da sessão anterior. A expectativa em relação à decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco da Inglaterra (BoE) e ao relatório de emprego dos Estados Unidos pesou sobre os índices europeus. O índice pan-europeu Stoxx 600 recuou 0,40%, encerrando a 287,13 pontos. Mesmo sem a previsão de que aconteça uma mudança na estratégia do BCE e do BoE, não está completamente descartado o reforço aos incentivos à economia nas reuniões da quinta-feira, 4. Além das decisões das autoridades monetárias, o relatório de emprego dos Estados Unidos (payroll), na sexta-feira, 5, dita o comportamento cauteloso dos investidores. O desempenho fraco das ações de resseguradoras europeias, que recuaram após rebaixamentos anunciados pelo JPMorgan Cazenove, também refletiu negativamente e colaborou para que as Bolsas terminassem o dia em baixa. A recomendação da Munich Re e Swiss Re foi reduzida para neutra, de 'overweight' (desempenho acima da média), enquanto a da Hannover Re foi cortada para 'underweight' (desempenho abaixo da média), de neutra. Os papéis da Munich Re recuaram 2,7%, em Frankfurt, enquanto os da Swiss Re caíram 1,6% em Zurique. A revisão da taxa de desemprego da zona do euro para 12,2% em maio, considerada a mais elevada desde o início da série em 1995, também pressionou para baixo as Bolsas europeias. Os temores com Grécia e Portugal, que enfrentam crises políticas que podem atrapalhar a implementação de pacotes de resgate aos países, contribuíram para o movimento negativo. Enquanto isso, indicadores positivos nos Estados Unidos ajudaram os índices a minimizar as perdas. Por lá, as encomendas às indústrias subiram 2,1% em maio, frente à previsão de alta de 2%. As vendas das montadoras, que avançaram quase de maneira generalizada, com exceção da Volkswagen, também seguraram a desvalorização. O índice FTSE, da Bolsa de Londres, recuou 0,06%, fechando a 6.303,94 pontos. No cenário corporativo, destaque para a queda das mineradoras, como a Vedanta Resources e ENRC que recuaram 2,62% e 2,59%, nesta ordem. Em Paris, o índice CAC-40 teve baixa de 0,66%, encerrando aos 3.742,57 pontos. As ações financeiras assinalaram algumas das maiores quedas no índice; o Société Générale caiu 1,18%, enquanto o Credit Agricole cedeu 1,12%. Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX caiu 0,92%, terminando em 7.910,77 pontos. A Fresenius Medical Care perdeu 8,7% no fechamento, depois de uma proposta de um regulador dos EUA de cortes drásticos nos reembolsos para provedores de diálise. Além disso, a Lanxess encerrou com recuo de 5,02% e o Commerzbank teve queda de 4,60%. Em Milão, o índice FTSE-Mib perdeu 0,61% e fechou a 15.365,71 pontos. Na Bolsa de Madri, o índice IBEX caiu 0,26%, para 7.886,60 pontos. Em Lisboa, o PSI-20 teve recuo de 1,50%, a 5.530,42 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.
continua após publicidade