Economia

Parada de caminhoneiros começa a preocupar Sindicom

Da Redação ·
O presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom), Alisio Vaz, informou nesta terça-feira, 02, ao Broadcast, serviço de informação em tempo real da Agência Estado, que os protestos de caminhoneiros pelo País causam "alguma preocupação com o suprimento de biocombustíveis", como etanol e biodiesel. "Esses produtos vem de longe e encontram paralisações regionais, seja em grandes centros ou mesmo em Paulínia", comentou, referindo-se à cidade que concentra indústrias do setor petroquímico no interior de São Paulo. Ontem, caminhoneiros bloquearam um pedágio que dá acesso à Refinaria do Planalto (Replan), justamente em Paulínia. No caso de gasolina e diesel, o transporte é feito por bombeio, através de dutos, explicou Vaz. Ele ponderou, no entanto, que, no geral, as manifestações não estão atrapalhando o transporte de combustíveis. "Por enquanto, não tem nada de alarmante, nada crítico." Na manhã desta terça-feira, caminhoneiros voltaram a bloquear rodovias em sete Estados (Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo). Ontem, nove Estados registraram protestos. O acesso ao Porto de Santos (SP) foi dificultado tanto ontem quanto hoje.
continua após publicidade