Economia

Alimentos puxam aceleração do IPA em junho, diz FGV

Da Redação ·
De maio para junho, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPA), medido para a composição do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), saiu de taxa de variação negativa (-0,30%) para o terreno positivo (0,68%). O índice geral, o IGP-M, saiu de estabilidade (0% de variação) em maio para 0,75% de alta em junho. Os três estágios apurados pela FGV para o IPA (Bens Finais, Bens Intermediários e Matérias-primas Brutas) saíram de variação negativa para resultado positivo no período. A aceleração do índice de Matérias-primas Brutas (de -0,77% para 1,23%), o estágio inicial da produção, foi influenciada por alimentos. Os principais responsáveis pelo resultado do grupo foram soja em grão (3,11% para 11,38%), milho em grão (-7,96% para -1,39%) e aves (-10,54% para -4,05%). Registraram desaceleração minério de ferro (5,13% para 0,34%), café em grão (0,82% para -4,24%) e cacau (6,95% para 1,03%). No índice relativo aos Bens Finais (de -0,05% para 0,08%), a principal contribuição veio do subgrupo alimentos processados (de 0,27% para 0,50%). O índice de Bens Finais (ex), que exclui alimentos in natura e combustíveis, acelerou de 0,24% para 0,37%. Já o índice de Bens Intermediários saiu de -0,18% para 0,84%, influenciado pelo subgrupo materiais e componentes para a manufatura (-0,09% para 1,18%). O índice Bens Intermediários (ex), que exclui combustíveis e lubrificantes para a produção, saiu de -0,13% para 1,00%. Influência Entre as maiores pressões de alta no IPA em junho aparecem a soja em grão (de 3,11% em maio para 11,38% em junho), farelo de soja (de 1,26% para 18,34%), leite in natura (de 3% para 2,95%), batata-inglesa (de 9,67% para 11,76%), feijão em grão (5,15% para 2,60%). A lista de maiores influências negativas no IPA é composta por tomate (de -18,95% para -23,98%), laranja (de -16,06% para -17,01%), cana-de-açúcar (de -2,38% para -2,15%), aves (de -10,54% para -4,05%) e café em grão (de 0,82% para -4,24%).
continua após publicidade