Economia

Economistas apostam em novas altas da taxa básica de juros

Da Redação ·





Por Mariana Schreiber

BRASÍLIA, DF, 29 de maio (Folhapress) - Após a decisão do Banco Central de aumentar a intensidade da elevação dos juros hoje, economistas apostam em novas altas da taxa básica (Selic). A taxa foi elevada hoje em meio ponto percentual, para 8% ao ano.

A economista Monica de Bolle, da consultoria Galanto, acredita agora que a taxa pode chegar até a 9% neste ano. Antes, sua previsão era de que o ciclo de elevação se encerraria em 8,5%. Ela considerou a decisão do BC surpreendente, tendo em vista o resultado fraco do PIB divulgada pela manhã.

"Foi uma decisão corajosa, que veio num dia muito difícil", afirmou. "Com esta decisão, o BC mostrou que de fato está preocupado com a inflação, que isso é prioridade", acrescentou.

A expectativa de de Bolle é de uma nova alta de meio ponto percentual na próxima reunião do Comitê de Política Monetária do BC (Copom), em julho.

A decisão de hoje foi acompanhada por um comunicado curto.

Segundo a nota, "o Comitê avalia que essa decisão contribuirá para colocar a inflação em declínio e assegurar que essa tendência persista no próximo ano".

O texto diz ainda que a elevação de meio ponto dá "prosseguimento ao ajuste da taxa básica de juros".

Considerando a conjuntura atual, o economista da PUC-Rio, José Márcio Camargo, também vê no comunicado uma indicação de que o BC deve elevar a taxa mais uma vez em meio ponto percentual na próxima reunião. Para ele, essa decisão deve contribuir para segurar a alta do dólar. Com o aumento dos juros, observa, os investimentos atrelados à Selic ficam mais atrativos, atraindo mais recursos externos para o Brasil.
 

continua após publicidade