Economia

Marfrig vai encerrar operação de carnes de frango em Caxias do Sul

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 28 de maio (Folhapress) - A Seara Alimentos, que faz parte do grupo Marfrig, vai encerrar sua produção de carnes de frango na cidade de Caxias do Sul (RS), anunciou hoje a companhia. Com a decisão, 540 funcionários devem ser demitidos e 150 serão transferidos. O fim da produção será no dia 20 de junho.

A empresa informa que a produção local de carne de peru continuará normalmente. Segundo nota divulgada à imprensa, o encerramento faz parte do plano de reestruturação pelo qual passa o grupo Marfrig.

O plano prevê a descontinuidade das atividades de quatro plantas no Brasil e a realocação dos volumes em outras unidades produtivas, otimizando a ocupação do parque fabril e aumentando a rentabilidade destas operações.

O Complexo Agroindustrial de Caixas do Sul é constituído por granjas de matrizes, incubatório, fábrica de ração, rede de produtores integrados e unidades de processamento e armazenagem.

A decisão não afetará clientes e consumidores, já que os itens produzidos nessas plantas serão fabricados em outras unidades industriais da empresa.

Reestruturação

Desde que abriu seu capital, em 2007, o grupo Marfrig expandiu suas operações com mais de 40 aquisições, alcançando 18 países. Esta expansão acelerada resultou em alto endividamento, que no primeiro trimestre deste ano chegou a uma dívida bruta de R$ 13 bilhões.

Há duas semanas, o grupo anunciou aos investidores um plano de reestruturação, que a empresa nomeou como "plano de melhora operacional".

A ideia é fechar ou vender, até o final deste trimestre, quatro fábricas no Brasil e duas unidades na Argentina.

O objetivo, segundo executivos da empresa, é "adequar o tamanho do grupo para uma estrutura de capital mais sustentável no longo prazo".

Na prática, isso significa reduzir o tamanho da companhia, mas sem perder receita, com o intuito de alcançar melhores margens de lucro e de resultados, além de reduzir a dívida da empresa em até R$ 2 bilhões.
 

continua após publicidade